Você no futuro se acharia um idiota por ser contra a greve hoje

Nesta quarta-feira (15) um dia histórico se aproxima. Pode não ser para a sua, mas para a nossa geração trata-se da primeira grande paralisação prevista nos últimos anos – a tão sonhada Greve Geral. E tudo vai muito além do que um mero grito de insatisfação com o governo: são direitos. Portanto, não seja um idiota anti-grevista, pois quando você se aposentar aos 75 anos será tarde demais para lamentar.

Metroviários em vários estados (inclusive São Paulo), ferroviários, bancários, operários, funcionários públicos e várias distintas categorias prometem parar o Brasil nesta quarta-feira, dia 15 de março.

Ao contrário do que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse nesta terça-feira (14), não se trata de uma greve política. E sim de uma greve de sobrevivência.

A Reforma da Previdência proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB) acerta em cheio o coração dos direitos trabalhistas no Brasil: é você, no futuro, que irá pagar o pato.

Como era de se esperar, com a declaração de greve – principalmente pelos metroviários paulistanos – surgiram comentários criticando a atitude dos trabalhadores. Segundo os comentaristas, “um trabalhador não pode atrapalhar o direito do outro trabalhar”. Mas afinal, quem aqui é o verdadeiro culpado pela Greve Geral desta quarta-feira?

Será realmente o metroviário, perseguido publicamente pelo governo estadual e que será obrigado a trabalhar até o final de sua vida? Ou o professor do ensino público, que recebe uma verdadeira miséria em todo o Brasil? Talvez seja o funcionário público que, como no estado do Rio de Janeiro, sofre com a política de austeridade praticada pelo descaso desgovernado do PMDB.

Não. Nenhum desses trabalhadores são os verdadeiros culpados por você não conseguir ir trabalhar nesta quarta-feira.

O verdadeiro culpado não tem nome, pois é um grupo político e social específico da nossa sociedade. Aquele bando de engravatados, que carregam nas mãos cerca de 90% da riqueza nacional, mesmo que represente apenas 1% da população. São os financiadores, os causadores da corrupção eleitoral e estatal. Os mega-empresários, CEOs de construtoras, bancos, do mercado imobiliário.

Eles querem mais um pedaço do bolo chamado sociedade. E este pedaço se chama Previdência.

A Reforma da Previdência prometida por Michel Temer é nada mais do que isso: entregar um pedaço do bolo, que representa a mim e a você, nas mãos da iniciativa privada, para termos de trabalhar até a nossa morte.

Portanto, não faz o menor sentido você ser um idiota contra a greve hoje, se no futuro será você mesmo que terá de pagar pelo pato. Você, jovem de 25 anos, que nunca sequer teve a oportunidade de ver uma verdadeira mobilização dos trabalhadores em sua vida – logo, não sabe o significado profundo que isso tem e representa. Você mesmo, que paga uma fortuna para ter acesso a uma faculdade particular, além de um convênio médico. No futuro, você terá de pagar ainda mais.

Hoje, você reclama dos metroviários por não conseguir ir trabalhar nesta quarta-feira. Mas no futuro, você talvez entenderá a necessidade dessa greve ao ser obrigado pelo governo a ir trabalhar aos 75 anos de idade.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: