Audiência pública da comissão tem como objetivo lidar com os desdobramentos do desastre causado pelas mineradoras Samarco e Vale, na cidade…

Tragédia em Mariana: audiência na Câmara é flagrada vazia em semana de impeachment

Tragédia em Mariana: audiência na Câmara é flagrada vazia em semana de impeachmentAudiência pública da comissão tem como objetivo lidar com os desdobramentos do desastre causado pelas mineradoras Samarco e Vale, na cidade…


Tragédia em Mariana: audiência na Câmara é flagrada vazia em semana de impeachment

Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Audiência pública da comissão tem como objetivo lidar com os desdobramentos do desastre causado pelas mineradoras Samarco e Vale, na cidade de Mariana no ano passado. Nesta terça (12), enquanto relatório do processo de impeachment da presidenta era lido no plenário, audiência ficou completamente vazia.

Quem liga para Mariana?

Cerca de 6 meses após o rompimento das barragens naquela pequena cidade, que deixou 18 pessoas mortas e pelo menos 1 desaparecida, essa foi a cara da audiência pública na Câmara dos Deputados sobre a tragédia.

O motivo?

Neste momento na terça-feira (12), foi lido o relatório do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff no plenário.

Em uma semana extremamente focada no impeachment, o Congresso parece ignorar por completamente o que aconteceu em Mariana. Claro, precisamos lembrar sobre a eficiência desse Congresso e de seus parlamentares.

Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), apontou no ano passado que 47% das leis aprovadas pelo Congresso Nacional entre os anos de 2007 e 2014, tratavam aoenas de questões secundárias, como homenagens ou instituição de datas simbólicas.

Entre 1995 e 2002, um dos primeiros períodos analisados pelo estudo, a Câmara e o Senado aprovaram, em média, 6,3 propostas de homenagem por ano. Essa média chegou a 38,1 projetos por ano, de acordo com o estudo do Ipea, entre 2007 e 2014.

Ou seja, estamos falando sobre um parlamento completamente ineficiente que passa a funcionar quando assuntos de seu interesse estão em jogo. Como, por exemplo, a cassação do mandato da presidenta Dilma Rousseff. Deputados que não são fãs de trabalho aos fins de semana passaram a defender, em um passe de mágica, que a Câmara funcione aos domingos — claro, pelo menos este domingo, dia 17, que será votado o processo no plenário.

A maior tragédia ambiental, que na realidade foi um crime praticado pelas mineradoras, continua sendo ignorada pela classe política.

By Democratize on April 13, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: