Segundo informações dos próprios motoristas do Uber em São Paulo, um grupo de taxistas utiliza o aplicativo para chamar viagens em locais…

Taxistas utilizam o Uber para “sabotar” viagens

Taxistas utilizam o Uber para “sabotar” viagensSegundo informações dos próprios motoristas do Uber em São Paulo, um grupo de taxistas utiliza o aplicativo para chamar viagens em locais…


Taxistas utilizam o Uber para “sabotar” viagens

Foto: Leonardo Benassatto

Segundo informações dos próprios motoristas do Uber em São Paulo, um grupo de taxistas utiliza o aplicativo para chamar viagens em locais perigosos da cidade. Ao chegar no ponto de partida, o motorista não encontra quem solicitou o carro.

O Democratize recebeu exclusivamente denúncias de motoristas do Uber nas cidades de São Paulo e Osasco, sobre o que eles acreditam ser uma espécie de “sabotagem” partindo de taxistas contra o serviço por aplicativo.

Neste sábado de manhã, o motorista Ronaldo (nome fictício) recebeu uma chamada de viagem pelo aplicativo em Osasco. Prestando serviços para o Uber a apenas uma semana, Ronaldo diz que não desconfiava do que se tratava, até chegar no local: “Temos apenas 15 segundos para aceitar a viagem ou não, depois disso o aplicativo redireciona para outro motorista. Acabei aceitando porque não imaginava do que se tratava”, diz Ronaldo.

O ponto de partida da viagem solicitada era em uma das favelas mais perigosas da cidade. Mesmo assim o motorista do Uber tentou procurar quem solicitou a viagem, perguntando para moradores se alguém o conhecia. Sem sucesso.

Segundo Ronaldo, não é a primeira vez que isso acontece com os motoristas do aplicativo. Três colegas denunciaram para ele que, em São Paulo, a tática de “sabotar viagem” pelos taxistas acontece todos os dias.

Um de seus colegas, Fernando (nome fictício), motorista do aplicativo desde dezembro do ano passado, já havia sido agredido fisicamente por taxistas em 2015. Além disso também teve parte de seu veículo vandalizado, e ameaçado de morte. Mesmo assim continua prestando serviços para o aplicativo Uber.

Segundo Fernando, ele já teria recebido mais de 20 solicitações de viagem para locais perigosos da capital, na região Oeste da cidade.

“Eles perceberam que a opinião pública não gostou do que eles fizeram, de ameaçar a gente, agora estão fazendo isso, escondidos, sem ninguém ver”, lamenta Ronaldo. Questionado se continuaria trabalhando para o aplicativo, ele foi claro: “Lógico. É um trabalho bom. Tem suas limitações, como qualquer outro trabalho. Mas não posso reclamar, existe uma relação muito boa entre a gente e os nossos clientes, eu gosto disso”.

O Democratize entrou em contato com o aplicativo Uber, mas até o momento não recebeu resposta. Também entramos em contato com representantes do sindicato que representara a categoria de taxistas na cidade de Osasco, que afirmaram desconhecer qualquer atitude similar partindo de seus motoristas.

By Democratize on February 27, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: