O ex-senador Eduardo Suplicy (PT) foi o mais indicado por pesquisa para ser vereador na cidade de São Paulo. O petista foi acompanhado de…

Suplicy vereador? Segundo pesquisa, petista é o mais indicado pelos entrevistados

Suplicy vereador? Segundo pesquisa, petista é o mais indicado pelos entrevistadosO ex-senador Eduardo Suplicy (PT) foi o mais indicado por pesquisa para ser vereador na cidade de São Paulo. O petista foi acompanhado de…


Suplicy vereador? Segundo pesquisa, petista é o mais indicado pelos entrevistados

Foto: Gabriel Soares/Democratize

O ex-senador Eduardo Suplicy (PT) foi o mais indicado por pesquisa para ser vereador na cidade de São Paulo. O petista foi acompanhado de duas novidades femininas do PSOL: Sâmia Bomfim e Isa Penna.


A Agência Democratize perguntou aos entrevistados, durante pesquisa sobre as eleições municipais deste ano em São Paulo, sobre qual seria o voto de cada um para vereador(a).

O mais citado para o cargo foi o ex-senador Eduardo Suplicy (PT), que confirmou sua pré-candidatura para a Câmara de Vereadores após sua exoneração do cargo de secretário municipal de Direitos Humanos, na gestão de Fernando Haddad, também do PT.

“Da última vez que fui candidato a vereador, em 1988, tive 201 mil votos — o que, na época, era praticamente cinco vezes mais votos que o segundo lugar. Em função disso, me elegeram presidente da Câmara Municipal. Minha candidatura vai ajudar o partido”, disse para a Revista Fórum, após evento de lançamento de sua pré-candidatura.

Mas Suplicy sabe que não vai ser um jogo fácil.

A mesma pesquisa indicou novos nomes que estão surgindo na política, principalmente no que se refere ao movimento das mulheres.

Duas novidades chegam do PSOL: Sâmia Bomfim, a segunda mais citada na pesquisa, e Isa Penna, a quarta mais indicada pelos entrevistados.

Em 2014, Isa Penna foi candidata para ocupar um cargo na Assembleia Legislativa de São Paulo, também pelo PSOL. Na época, conquistou cerca de 6.915 votos, não conseguindo o mandato. Penna é advogada e militante do movimento feminista.

Sâmia, a segunda mais indicada pelos entrevistados como escolha de voto para vereadora em São Paulo, foi processada em julho do ano passado pelo ex-ator Alexandre Frota. A ativista e militante do grupo Juntas foi alvo de Frota depois do ator dizer em rede nacional, durante programa de humor, que havia estuprado uma mãe de santo. Sâmia e outras ativistas organizaram uma ação em repúdio ao ator, que a procurou nas redes sociais e a ameaçou.

A primeira da foto na esquerda, Sâmia ajuda a socorrer uma colega após violência da Polícia Militar durante protesto contra o aumento da tarifa em janeiro deste ano em São Paulo | Reprodução/Facebook

Em conversa com a pré-candidata pelo PSOL, ela nos contou um pouco sobre sua plataforma de campanha, e as dificuldades em tentar se eleger em um sistema que beneficia geralmente os chamados caciques da política, que contam com apoio financeiro. “É um processo difícil, pois infelizmente o poder econômico é o que define as eleições no atual sistema político do país. Minha pré-candidatura funciona em outra lógica, pois é impulsionada por feministas, jovens, trabalhadores e movimentos sociais, sem patrocínio, só com força militante”, disse a pré-candidata em conversa com o Democratize.

Sobre o fato de ser mulher e tentar participar da política institucionalmente, Sâmia diz que é “urgente aumentar a participação das mulheres nas cadeiras do parlamento. O movimento feminista está se ampliando, pautando cada vez mais grandes temas na sociedade. Nós podemos fazer a primavera das mulheres ocupar a política”.

Além de Isa e Sâmia, outro pré-candidato do PSOL citado na pesquisa é Toninho Vespoli, atual vereador pelo partido em São Paulo. É de Vespoli o Projeto de Lei 451/2013, que inclui alimentos orgânicos na alimentação escolar em todas as unidades do sistema municipal de ensino de São Paulo. Ele vai tentar neste ano o seu segundo mandato na Câmara dos Vereadores.

Outros nomes citados foram: Douglas Belchior (PSOL), que em 2014 foi candidato para deputado federal pelo mesmo partido, com cerca de 11.710 votos; Nabil Bonduki, atualmente vereador pelo Partido dos Trabalhadores, eleito em 2012 com cerca de 42.411 votos, foi secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente do primeiro governo Dilma, e posteriormente também secretário municipal de Cultura, da gestão de Haddad em São Paulo; Luiza Coppieters, pré-candidata pelo PSOL neste ano de 2016, é professora de Filosofia, feminista e militante LGBT.


Veja mais sobre a pesquisa feita pela Agência em Democratize, entrevistando mais de 1.100 pessoas:

By Democratize on July 1, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: