Eleito pela Câmara como novo presidente da casa, o deputado Rodrigo Maia (DEM) coleciona acusações — assim como seu antecessor, Eduardo…

Sai Cunha e entra um deputado alvo da Lava Jato e do Mensalão do DEM

Sai Cunha e entra um deputado alvo da Lava Jato e do Mensalão do DEMEleito pela Câmara como novo presidente da casa, o deputado Rodrigo Maia (DEM) coleciona acusações — assim como seu antecessor, Eduardo…


Sai Cunha e entra um deputado alvo da Lava Jato e do Mensalão do DEM

Foto: Agência Brasil

Eleito pela Câmara como novo presidente da casa, o deputado Rodrigo Maia (DEM) coleciona acusações — assim como seu antecessor, Eduardo Cunha (PMDB). Em 2010, Maia foi apontado como um dos beneficiários de esquema montado pelo governador cassado José Arruda (DF). Mês passado, Janot pediu abertura de inquérito para investigar o deputado por envolvimento na Lava Jato.


Por Francisco Toledo

Se você acha que a vitória de Rodrigo Maia (DEM) para a presidência da Câmara dos Deputados significa uma espécie de “limpeza” na moral de Brasília, é bom voltar algumas casas, porque o jogo político é cheio de armadilhas.

Apesar de vencer com tranquilidade o candidato recomendado pelo ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB), Maia coleciona tantas acusações quanto o deputado Rogério Rosso (PSD).

Em 2010, o delator do chamado “Mensalão do DEM” afirmou ao jornal Estadão que o então presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia, era um dos beneficiários do esquema montado pelo governador cassado do DF, José Roberto Arruda.

Para quem não se recorda, Barbosa foi o homem responsável pela queda do ex-governador do Distrito Federal. Ele foi o autor dos vídeos que levaram à queda de Arruda, de quem foi secretário de Relações Institucionais.

Foto: Sérgio Lima/Folhapress

Uma curiosidade neste caso específico: foi justamente o deputado Rogério Rosso, que disputou a presidência da Câmara contra Maia, que mais se beneficiou com a saída de José Roberto Arruda no governo do DF. Em abril de 2010, foi eleito com 13 votos para o cargo de governador do Distrito Federal, em um turno único através de uma eleição indireta promovida pela própria Câmara Legislativa.

Mas não precisa voltar muito tempo atrás para encontrar curiosidades e escândalos na carreira do novo presidente da Câmara dos Deputados.

Em junho deste ano, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a abertura de um inquérito para investigar Rodrigo Maia, por conta de seu nome ter aparecido em mensagens trocadas por Marcelo Odebrecht e o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, ambos envolvidos na operação Lava Jato.

Segundo informações do PGR, o novo presidente da Câmara deve ser investigado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Janot encaminhou o pedido para o ministro e relator da Lava Jato, Teori Zavascki, que deve submeter em breve a decisão ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, se julgar não haver relação direta com os desvios feitos na Petrobras.

A vitória de Maia foi celebrada por aliados, além do próprio governo Temer e dos grupos “anti-corrupção”.

Na edição deste quarta-feira (13) do Jornal da Globo, o apresentador William Waack se referiu ao novo presidente da Câmara como uma “cara nova na política”, de perfil conciliador e diplomático.

Mas será que com tantas acusações nas costas, Rodrigo Maia conseguirá dar andamento aos trabalhos caso passe a ser investigado na Lava Jato?

Basta esperar os próximos episódios, que estão nas mãos do ministro Teori Zavascki.


Francisco Toledo é co-fundador e fotojornalista pela Agência Democratize

By Democratize on July 14, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: