A peça de propaganda da empresa de mineração Samarco, principal responsável pelo crime ambiental na cidade de Mariana (MG), teve sua…

Quanto custou a propaganda da Samarco no Fantástico do último domingo?

Quanto custou a propaganda da Samarco no Fantástico do último domingo?A peça de propaganda da empresa de mineração Samarco, principal responsável pelo crime ambiental na cidade de Mariana (MG), teve sua…


Quanto custou a propaganda da Samarco no Fantástico do último domingo?

Foto: Reprodução/TV Globo

A peça de propaganda da empresa de mineração Samarco, principal responsável pelo crime ambiental na cidade de Mariana (MG), teve sua principal inserção durante o comercial do programa ‘Fantástico’, carro-chefe da Globo aos domingos. O valor exorbitante pago pela mineradora é de se espantar.

Veja abaixo o texto do grupo Em Defesa dos Territórios Frente a Mineração, publicado no Facebook.

Na foto abaixo você pode acompanhar a Tabela de Preços dos anúncios na Rede Globo. Um anúncio nacional de 30 segundos no intervalo do Fantástico custa R$ 550.200,00. O comercial da Samarco “É sempre bom olhar para todos os lados” tinha 1 minuto. Faça as contas, cada inserção custou R$ 1.100.400,00.

Foram 3 inserções nacionais no último domingo. O que soma o montante de R$ 3.301.200,00. Ou seja, a Samarco pagou R$ 3,3 milhões por 3 minutos de propaganda nacional em um dos programas de maior audiência na TV aberta.

Olhe para todos os lados e o que você vê?

Nós do Comitê vemos uma empresa disposta a investir o que for preciso em marketing e propaganda para tentar “limpar” sua imagem suja pela lama criminosa das suas operações assassinas.

De novo, faça as contas: R$ 3,3 milhões. O que poderia ser feito com esse dinheiro?

A Samarco poderia ter comprado 17 casas em Bento Rodrigues, para indenizar famílias que tiveram suas casas destruídas pela mineradora, ou pago o salário mínimo mensal acordado com o MP (e que não tem sido cumprido) a 3.750 pescadores atingidos. Ou comprado ainda 3,3 milhões de litros de água mineral para a população de cidades como Governador Valadares, que não tem água segura para consumo humano na rede de abastecimento, pois o local de captação foi totalmente contaminado pela lama. E cidades onde a Samarco briga na justiça para não entregar mais água mineral.

O que a Samarco escancarou com a sua ação de marketing hipócrita com essa campanha, e seus anúncios na grande mídia foi deixar claro que não importam para ela os atingidos, não importa o Rio Doce, para esses será uma luta árdua conseguir receber na justiça qualquer valor. Mas para limpar a lama tóxica da sua imagem, aí sim, há verba. E assim saúda investidores e o deus mercado do capitalismo.

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Talvez os milhões investidos em grande empresas de comunicação não tenham sido suficientes para uma análise muito simples para a mineradora, a de que ela não atingiu de forma criminosa apenas a população de Mariana e da Bacia do Doce, mas sim a cada um dos ambientalistas, ativistas e defensores dos direitos humanos de todo país. E não Samarco, não permitiremos que você tripudie sobre a dor de todos aqueles dos quais destruiu suas vidas.

Ontem o CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu um processo para verificar as denúncias à respeito da campanha “Fazer o que Deve ser Feito”, da Tom Comunicação para a Samarco. A entidade recebeu cerca de 50 reclamações. A maioria questiona a veracidade das informações do filme que está sendo veiculado na TV.


Texto publicado pela frente Em Defesa dos Territórios Frente a Mineração

By Democratize on February 19, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: