Foto: Bárbara Dias/Democratize

Primeira instituição de ensino é ocupada no Rio contra o governo Temer

Os alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, o IFRJ, decidiram ocupar o campus de Realengo hoje (11), em resposta a votação da PEC 241 que impõe um teto de investimento dos gastos públicos, contra a MP 746 que propõe a Reforma do Ensino Médio e contra o Projeto da Escola Sem Partido. É a primeira instituição de ensino a ser ocupada no Rio de Janeiro, em protesto ao Governo Temer.

Seguindo o exemplo dos secundaristas que estão ocupando as suas escolas contra a Medida Provisória (MP) 746/2016 de reforma do Ensino Médio, do presidente Michel Temer, que já ocuparam mais de 110 escolas no Brasil, os estudantes de graduação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do campus de Realengo, Zona Oeste do Rio de Janeiro, decidiram ocupar a instituição para pressionar o Governo contra a reforma do Ensino Médio, e principalmente contra a PEC 241 que limita os gastos públicos com saúde e educação por 20 anos.

O campus do Instituto Federal (IF) oferece cursos de Graduação em Farmácia, Terapia Ocupacional e Fisioterapia. De acordo com informações, os estudantes já vinham realizando várias mobilizações contra o Governo Federal, principalmente por conta de cortes de verbas na unidade e pelo sucateamento do espaço acadêmico. Foram várias paralisações, nos meses de setembro e começo de outubro.

Foto: Bárbara Dias/Democratize

A estudante de Farmácia Caroline Falzoni, informou que assim que o Governo Temer assumiu as mobilizações se intensificaram. Os estudantes decidiram ocupar o campus logo após a votação da PEC 241, pois tiveram uma notícia de que haveria um corte de 1/3 da verba, sendo que no ano de 2015 já havia ocorrido uma redução de 10% no orçamento.

De acordo com a estudante, o congelamento de investimentos por 20 anos imposto pela PEC 241 inviabilizará o funcionamento não só do IF de Realengo, como de todos os demais IFs do Brasil. Por esse motivo, ela afirmou que já existe uma mobilização para que ocorram mais ocupações contra o congelamento da PEC 241 no Rio de Janeiro e em outros Estados.

Foto: Bárbara Dias/Democratize

A estudante Íris Nascimento de Fisioterapia, acrescentou que o funcionamento básico do campus já está bastante prejudicado, inclusive a unidade que tem atendimento a comunidade local com fisioterapia e terapia ocupacional, pode vir a não mais oferecer esses serviços.

A ocupação conta com o apoio dos docentes, funcionários técnicos administrativos e da comunidade local. A professora Ana Carolina Souza, explica que o movimento surgiu de maneira espontânea, autônoma e organizada pelos estudantes, logo após a votação da PEC 241 e que eles, na condição de professores, irão buscar meios de apoiar os discentes nesse movimento de ocupação.

Veja o vídeo:

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: