Apesar de não ter sido manchete no Jornal Nacional, foi protocolado pedido de impeachment contra o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin…

População protocola pedido de impeachment contra Geraldo Alckmin

População protocola pedido de impeachment contra Geraldo AlckminApesar de não ter sido manchete no Jornal Nacional, foi protocolado pedido de impeachment contra o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin…


População protocola pedido de impeachment contra Geraldo Alckmin

Foto: Wesley Passos/Democratize

Apesar de não ter sido manchete no Jornal Nacional, foi protocolado pedido de impeachment contra o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) nesta semana.

O pedido, protocolado nesta terça-feira (01), foi feito pelo empresário e ativista Felipe Gini. Não é a primeira vez que o governador tucano é enquadrado: em 2014, o deputado estadual Carlos Gianazzi (PSOL) já havia oficializado uma soliticação similar.

O argumento contra Alckmin é de que ele teria descumprido a lei federal que garante o livre direito a manifestação, quando reprimiu brutalmente os estudantes secundaristas, que ocuparam mais de 200 escolas no final de 2015, contra o projeto de reorganização escolar defendido pelo seu governo.

Além disso, o empresário acusa o governo estadual de descumprir uma ordem judicial que interrompe a reorganização escolar, após o fechamento de centenas de salas de aula neste ano de 2016.

Foto: Gabriel Soares/Democratize

Em uma conversa com o co-fundador da agência Democratize, Francisco Toledo, o empresário admite que sem a participação popular, o processo provavelmente será engavetado pela Assembleia Legislativa do estado, que conta com uma enorme maioria governista pró-Alckmin.

A mobilização secundarista no final do ano passado já havia rendido um sério problema para o governador tucano, quando sua popularidade despencou – pela primeira vez desde os protestos de junho de 2013. Isso além de ter perdido seu então secretário de Educação, Herman Voorwald, que havia pedido demissão após o suposto recuo do governo estadual sobre o projeto.

As manifestações contra o aumento da tarifa em janeiro deste ano também colocaram, novamente, o governador Geraldo Alckmin nos holofotes. A grande repressão contra manifestações como a do dia 12 de janeiro, onde cerca de 50 pessoas ficaram gravemente feridas – incluindo jornalistas -, chamou a atenção do mundo inteiro. Ainda por cima, colocou seu secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, em uma situação delicada, quando o governo estadual e a Polícia Militar quiseram ditar o trajeto das manifestações do Movimento Passe Livre, causando brigas e acusações.

Com o foco das atenções em Brasília e na imagem do ex-presidente Lula (PT), o governador tucano pode respirar aliviado, mas apenas por enquanto. Estudantes secundaristas e o sindicato dos professores da rede estadual já prometem articulações e mobilização contra a “reorganização por baixo dos panos”, que estaria sendo promovida pelo governo de Alckmin neste ano.

By Democratize on March 5, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: