Em mais um dia de protestos contra o fechamento de várias escolas estaduais em São Paulo, a Polícia Militar não poupou ninguém: um…

Polícia prende e agride em manifestação de estudantes

Polícia prende e agride em manifestação de estudantesEm mais um dia de protestos contra o fechamento de várias escolas estaduais em São Paulo, a Polícia Militar não poupou ninguém: um…


Polícia prende e agride em manifestação de estudantes

Foto: Gabriel Soares/Democratize

Em mais um dia de protestos contra o fechamento de várias escolas estaduais em São Paulo, a Polícia Militar não poupou ninguém: um professor foi detido junto com um cinegrafista do Vio Mundo, Caio Castor. Um fotógrafo também foi agredido.

Enquanto centenas de estudantes protestavam na manhã desta sexta-feira (9) contra o fechamento de várias escolas no estado, a Polícia Militar acabou detendo duas pessoas — ainda sem justificativa. Um deles seria um professor de uma das escolas estaduais que provavelmente não existirá mais em 2016. O outro é Caio Castor, fotógrafo e cinegrafista do Vio Mundo, importante site de notícias independente.

Além das prisões sem justificativa, um fotógrafo acabou sendo agredido por um policial durante a marcha dos estudantes, colocando em risco não só seu equipamento como também a integridade física do fotógrafo, que acabou caindo no chão.

Trata-se da primeira ação mais repressiva por parte das forças de segurança da gestão tucana no estado, que enfrentam protestos desde o começo da semana em várias cidades de São Paulo. Só na Avenida Paulista este foi a segunda manifestação dos estudantes — que deve continuar na semana que vem, com mais um ato marcado para terça-feira.

Foto: Gabriel Soares/Democratize

Entenda o caso

Mais de 400 unidades de ensino podem fechar as portas a partir do ano que vem. A medida vai reorganizar a distribuição dos alunos em unidades que passarão a atender exclusivamente um dos três ciclos de ensino: o primeiro abrange os alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental; o segundo, dos alunos do 6º ao 9º ano do fundamental, e o terceiro reúne os três anos do ensino médio.

Atualmente, algumas escolas da rede estadual atendem alunos de mais de um dos ciclos. Para a Secretaria Estadual da Educação, o ideal é que as escolas recebam apenas estudantes de um dos ciclos e, desta forma, estejam mais focadas no aprendizado da faixa etária que atende.

A expectativa do governo é de que até mil escolas sejam atingidas com a mudança. Segundo a assessoria de imprensa da pasta de educação, os alunos que vão precisar ser transferidos serão matriculados em escolas que ficam até no máximo 1,5 quilômetro de suas casas. Eles serão informados sobre o endereço da nova unidade até o mês de novembro.

Foto: Gabriel Soares/Democratize

Existe o temor de que a mobilização dos estudantes acaba se tornando ainda maior com o passar do tempo. Fontes dentro da Secretária da Educação informaram de forma exclusiva ao Democratize que o governo do estado já prepara uma rearticulação do projeto — porém, as mudanças são vistas como ainda insignificantes, e que não seria o suficiente para manter as escolas abertas.

A possibilidade das manifestações aumentarem é vista como um deja vu do que se tornou a recente greve dos professores neste ano, que durou mais de 90 dias e acabou ganhando forte adesão da população, estudantes e pais. A ineficácia do governo de Geraldo Alckmin (PSDB) em dialogar com os professores e sindicalistas tornou a greve muito mais forte — mesmo com a derrota no final.

Veja o momento em que Caio Castor, do Vio Mundo, foi detido:

By Democratize on October 9, 2015.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: