Policiais militares invadiram a ocupação dos secundaristas no Centro Paula Souza na manhã desta segunda-feira (02). Segundo o governo, a a…

PM invade na ilegalidade o Centro Paula Souza, e reintegração é suspensa pela Defensoria

PM invade na ilegalidade o Centro Paula Souza, e reintegração é suspensa pela DefensoriaPoliciais militares invadiram a ocupação dos secundaristas no Centro Paula Souza na manhã desta segunda-feira (02). Segundo o governo, a a…


PM invade na ilegalidade o Centro Paula Souza, e reintegração é suspensa pela Defensoria

Foto: Reinaldo Meneguim/Democratize

Policiais militares invadiram a ocupação dos secundaristas no Centro Paula Souza na manhã desta segunda-feira (02). Segundo o governo, a ação ocorreu para “garantir o trabalho dos funcionários”. A Defensoria Pública suspendeu o pedido de reintegração de posse — provando a ilegalidade da ação da Polícia Militar no local.

O diálogo parece não existir para o governo estadual de São Paulo quando o assunto é educação.

Pelo menos é o que parece pelas ações do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Na manhã desta segunda-feira (02), o Centro Paula Souza foi invadido por policiais militares e pela Tropa de Choque. A ação ocorreu na ilegalidade, já que não havia mandado para entrar no prédio ou retirar os estudantes que o ocupam desde a última quinta-feira, dia 28 de abril.

Segundo a Assessoria de Imprensa do Centro Paula Souza, a ação ocorreu para “garantir o trabalho dos funcionários da instituição”.

Foto: Reinaldo Meneguim/Democratize

A invasão da polícia ocorreu com a presença do secretário de Segurança Pública do Estado, Alexandre de Moraes. Junto com ele estava a Superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá.

Segundo os secundaristas, Laura Laganá é conhecida por “ignorar completamente a demanda dos estudantes”, tendo ido apenas uma vez para a ocupação com o objetivo de “criminalizar os estudantes e ceder entrevista para a grande mídia”.

Para comprovar a ilegalidade da ação da Polícia Militar e da SSP, a Defensoria Pública do Estado acaba de suspender o pedido de reintegração de posse do prédio do Centro Paula Souza, segundo informações exclusivas do Democratize com o blog ImprenÇa.

Os estudantes alegam a falta de merenda e infra-estrutura nas ETECs de São Paulo, assim como nas demais escolas públicas. O fato ocorre também por conta da chamada Máfia da Merenda, esquema de corrupção envolvendo nomes importantes do governo tucano, com desvios de verba direcionado para a merenda escolar.

Por conta disso, duas escolas foram ocupadas nas últimas 24 horas em São Paulo: a ETESP e a ETEC Paulistano. Na madrugada do sábado (30) a E.E. Fernão Dias Paes também havia sido ocupada por secundaristas, sendo posteriormente desocupada de forma voluntária na manhã desta segunda-feira.

Foto: Reinaldo Meneguim/Democratize

O objetivo dos estudantes é fortalecer a ocupação do Centro Paula Souza, além das ETECs.

Mais uma vez, o governador Geraldo Alckmin dispensou o diálogo dando declarações públicas criminalizando o movimento estudantil em São Paulo. Essa demonstração de “desprezo” pelos secundaristas exemplifica a ação ilegal da Polícia Militar na manhã de hoje no Centro Paula Souza.

Foram os secundaristas os principais responsáveis pela enorme queda de popularidade do governador tucano no final do ano passado, segundo pesquisa do Datafolha. Esse fator acabou rendendo a suspensão da chamada reorganização escolar, projeto que fecharia diversas escolas ao redor do estado. Na época, secundaristas chegaram a ocupar mais de 200 escolas em toda São Paulo, além de realizar manifestações com “trancaços” nas principais vias da capital durante a semana.

By Democratize on May 2, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: