Não existe nada pior na democracia do que os aproveitadores. Aqueles que, em favor de interesses nebulosos, passam por cima da ética e da…

Paulinho, o cara de pau da República

Paulinho, o cara de pau da RepúblicaNão existe nada pior na democracia do que os aproveitadores. Aqueles que, em favor de interesses nebulosos, passam por cima da ética e da…


Paulinho, o cara de pau da República

Foto: Solidariedade

Não existe nada pior na democracia do que os aproveitadores. Aqueles que, em favor de interesses nebulosos, passam por cima da ética e da Justiça para perseguir desafetos políticos sob a bandeira da moralidade. O deputado federal Paulinho da Força, persegue agora o socialista Chico Alencar (PSOL) para defender Eduardo Cunha. É um tiro contra a democracia, que só poderia vir de um verdadeiro cara de pau da República.

No ano passado, um amigo canadense veio ao Brasil para filmar um documentário durante a Copa do Mundo. Nesses dias, viu um discurso acalorado na televisão, de um homem que aparentava ser uma liderança sindical indignada, discursando para milhares de trabalhadores. Perguntou pra mim quem era, e quando vi na TV, lá estava o velho Paulinho da Força. Contei para meu amigo todas as polêmicas envolvendo o deputado, suas denúncias de corrupção, sua influência baseada em interesses lucrativos na luta sindical, etc. Ele parou e me disse: mas o que raios um homem desse ainda faz livre no Brasil, sendo ainda um congressista? Pois é. Não soube responder.

Pois então, aquele sindicalista fervoroso das massas parece ter jogado fora o que ainda tinha restado de vergonha na cara de sua trajetória política — que é das mais duvidosas possíveis, do começo até os dias de hoje. Em defesa do especulado impeachment, o deputado do partido Solidariedade (aquele mesmo que entrega panfleto de filiação em tudo que é canto da cidade) afirmou em TV nacional que defende o acusado presidente da Câmara, Eduardo Cunha, porque apenas ele poderia derrubar a presidenta Dilma Rousseff.

Cunha é acusado de diversos crimes de corrupção, inclusive pela Justiça de outro país — Suíça. Lá foram encontrados cerca de 5 milhões de dólares em uma conta no nome do deputado. Até os movimentos de direita que ocuparam as ruas neste 2015 já demonstraram sua insatisfação ao presidente da Câmara, passando a apoiar a sua saída do cargo, junto com os tucanos do PSDB, que fizeram o mesmo nesta semana. Mas sabe como é, quando as partes são semelhantes demais, é impossível não haver uma certa compaixão.

E é por isso que Paulinho é um dos únicos no Congresso de hoje que tem coragem de sair em defesa de Cunha. Afinal, corrupto com corrupto, os dois se entendem.

E no fim de outubro, Paulinho deu seu “golpe de mestre”. De forma provocativa e com objetivo de tumultuar o Conselho de Ética (para dar tempo e desviar o foco), Paulinho acusou o deputado federal Chico Alencar (PSOL) de usar empresas fantasmas, exigindo sua cassação. Sim, Paulinho da Força, aquele acusado durante toda a sua carreira política de abusos com os cofres públicos, pedindo a cassação de um dos congressistas com histórico mais limpo do Congresso, por corrupção.

“É uma manobra evidente, com todos os indícios de que foi orientada por Eduardo Cunha. Trata-se de um ´paulinho mandado´ para tumultuar o ambiente, desviar o foco e sobrecarregar o Conselho.” — Chico Alencar

E o que faz o Conselho de Ética da casa? Instaura um processo para investigar Alencar.

É por causa de pessoas como Paulinho da Força, que existem pessoas como Eduardo Cunha. São verdadeiros aproveitadores disfarçados de políticos profissionais. Veja bem: eles não são profissionais, pois não sabem esconder e manipular tudo o que encontram pela frente, mas são aproveitadores pois sabem se utilizar da máquina política para se perpetuar em seus cargos, independente da quantidade de acusações que recebem. E ainda são levados a sério — tão a sério que conseguem ser reeleitos.

Não é de hoje que percebemos a tamanha cara de pau que é o deputado federal Paulinho, do Solidariedade.

Ainda quando escrevia pelo coletivo Guerrilha GRR, eu e meus colegas fizemos uma investigação sobre toda a sujeira por trás do histórico do ex-sindicalista. E não foi pouca coisa não, tanto que após uma série de reportagens sobre outros deputados, Paulinho foi eleito por 40% dos leitores do Guerrilha como o político mais sujo do Congresso Nacional atual. Segue a lista de falcatruas:

  1. Acusação por parte do Ministério Público em setembro de 2015: Paulinho teria se beneficiado de desvios do BNDES.
  2. Supremo Tribunal Federal determina instauração de inquérito contra Paulinho, suspeito de corrupção passiva. Tratava-se do caso de cobrança de propina para liberação de “cartas sindicais”.
  3. Condenação pelo Tribunal Regional Federal de improbidade administrativa, por desvio de recursos públicos do Programa Banco da Terra na década de 2000.
  4. Fraude envolvendo seu grupo político (Solidariedade): seis lotes com assinaturas falsificadas de apoio ao partido, incluindo dois mortos, foram entregues nos cartórios eleitorais por três pessoas ligadas ao deputado.

Qual moral um congressista com tal bagagem possuí para denunciar seus colegas com o simples objetivo de retardar as investigações contra seu principal aliado, Eduardo Cunha? Aliás, qual moral um homem como tal tem para exigir o impeachment de uma presidente, a acusando de corrupção? Meu amigo canadense estaria colocando a cabeça no buraco se fosse brasileiro e presenciasse tal situação em nosso cenário político.

Se Eduardo Cunha é o sabotador da República, lhes apresento, enfim, o cara de pau da República: o deputado federal Paulinho da Força.


Texto por Francisco Toledo, co-fundador e fotojornalista da Agência Democratize

By Democratize on November 17, 2015.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: