Parecia uma marcha policial, mas foi a passagem da tocha olímpica em São Paulo neste domingo (24). Na Paulista, manifestantes pediram a sa…

Passagem da tocha em São Paulo tem protestos e forte esquema de segurança

Passagem da tocha em São Paulo tem protestos e forte esquema de segurançaParecia uma marcha policial, mas foi a passagem da tocha olímpica em São Paulo neste domingo (24). Na Paulista, manifestantes pediram a sa…


Passagem da tocha em São Paulo tem protestos e forte esquema de segurança

Foto: Alice V/Democratize

Parecia uma marcha policial, mas foi a passagem da tocha olímpica em São Paulo neste domingo (24). Na Paulista, manifestantes pediram a saída do presidente interino Michel Temer, enquanto no Pacaembu, o alvo foi o ex-presidente Lula. Forte esquema de segurança impediu qualquer tentativa de apagar a tocha.


Muitos tentaram — e tantos outros desejaram. Mas ninguém conseguiu apagar a tocha olímpica. Pelo menos em São Paulo, não foi desta vez.

Neste domingo (24) a tocha percorreu sob forte esquema de segurança algumas das principais vias da cidade, como na Avenida Paulista. Lá, manifestantes aproveitaram a visibilidade para protestar contra o presidente interino Michel Temer (PMDB).

Mas não foi a única manifestação do dia enquanto a tocha atrevessava a cidade.

Trabalhadores da Nissan, representados pelo sindicato dos metalúrgicos, também se manifestaram contra a montadora, patrocinadora oficial do revezamento da tocha e da edição brasileira dos Jogos.

Ao lado do estádio do Pacaembu, por onde a tocha passou neste domingo, foi a vez de manifestantes pró-Bolsonaro exigerem a prisão do ex-presidente Lula (PT).

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

O protesto contou com tudo — menos qualquer coisa relacionada aos Jogos Olímpicos. Cartazes em apoio ao projeto Escola sem Partido, manifestações em apoio ao juiz Sérgio Moro, e até mesmo gritos em defesa do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) fizeram parte do repertório.

Mas nada disso foi o suficiente para “abalar” a tocha em São Paulo.

Tudo graças ao forte esquema de segurança montado pela Polícia Militar, protegendo os condutores durante toda a Avenida Paulista, de bicicleta, motos e a pé, além de até mesmo soldados da Guarda Nacional, que geralmente já fazem o acompanhamento do tocha pelas cidades do Brasil.

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Faltando poucos dias para os Jogos Olímpicos, o clima de tensão e irritação, além de decepção, é visto em praticamente todas as cidades por onde passa a tocha olímpica.

Em 26 de junho, um homem chegou a ser preso por tentar apagar a tocha olímpica com um balde de água, na cidade de Maracaju (MS). Posteriormente, o juiz criminal Marcelo Carneval decidiu soltar o homem de 35 anos. Carneval decidiu não homologar a prisão em flagrante por considerá-la “uma conduta atípica”.

Na sexta (22), outro homem acabou sendo preso durante o trajeto da tocha olímpica, desta vez na cidade de Guarulhos, em São Paulo. Porém, ao contrário de apagar a tocha, o rapaz tentou roubá-la.

Veja as fotos registradas por Alice V e Gustavo Oliveira, para o Democratize, do trajeto percorrido pela tocha em São Paulo e os protestos na Paulista e no Pacaembu:

Fotos: Alice V/DemocratizeFotos: Gustavo Oliveira/Democratize

By Democratize on July 25, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: