Na noite desta terça-feira (23), o prefeito da cidade de Itacoara (RJ), Gelsimar Gonzaga (PSOL), teve seu mandato cassado. Partido acusa C…

O verdadeiro golpe: prefeito do PSOL é derrubado em Itaocara

O verdadeiro golpe: prefeito do PSOL é derrubado em ItaocaraNa noite desta terça-feira (23), o prefeito da cidade de Itacoara (RJ), Gelsimar Gonzaga (PSOL), teve seu mandato cassado. Partido acusa C…


O verdadeiro golpe: prefeito do PSOL é derrubado em Itaocara

Foto: Reprodução/Youtube

Na noite desta terça-feira (23), o prefeito da cidade de Itacoara (RJ), Gelsimar Gonzaga (PSOL), teve seu mandato cassado. Partido acusa Câmara de Vereadores de praticar golpe contra Gonzaga, que teria enfrentado em três anos “as velhas práticas políticas de extorsão entre o Poder Legislativo e o Poder Executivo”.

A pequena cidade de Itacoara, no Rio de Janeiro, vive dias de turbulência política. Sendo um dos primeiros prefeitos que o PSOL elege em sua história, Gelsimar Gonzaga teve seu mandato cassado na noite desta terça-feira (23).

Mas não foi por conta de acusações de corrupção e nem abuso de poder. A justificativa da Câmara dos Vereadores da cidade foi a de que Gonzaga teria “impedido o funcionamento regular da Câmara”, por ter “atrasado uma suplementação orçamentária para a casa”.

Não é de hoje que o psolista enfrenta dificuldades para conseguir administrar a própria cidade que o elegeu. Descartando qualquer tipo de aliança política para prevalecer a governabilidade, Gonzaga viveu em conflito direto com os vereadores da cidade desde o seu primeiro ano de mandato, em 2013.

Logo no primeiro ano, o prefeito sofreu com uma CPI coordenada pela Câmara para tirá-lo do cargo. Na época, os vereadores não divulgaram nenhum motivo concreto para a abertura da comissão parlamentar. Segundo informações, a CPI teria sido aberta pois um cidadão fez um ofício à casa pedindo informações da prefeitura. De lá, os requerimentos foram enviados ao prefeito, mas ele não deu respostas. Na época, um carro de som percorria os bairros da cidade de 23 mil habitantes com a mensagem: “Povo itaocarense! Aqui é o prefeito Gelsimar Gonzaga. Querem me tirar do cargo, mas só com o povo na rua conseguiremos acabar com essa tentativa de golpe”.

E com apoio popular, Gelsimar Gonzaga conseguiu passar por cima da CPI aberta pela Câmara dos Vereadores.

Dos 11 vereadores da cidade, o então prefeito contava com o apoio de apenas um na Câmara: Fernando Arcenio, eleito também pelo PSOL. Para manter a gestão, Gonzaga recorria à mobilização popular. Realizava uma série de assembleias para esclarecer as pautas do momento aos cidadãos, consultando a opinião dos seus eleitores e ouvindo suas reivindicações.

Nas redes sociais, diversas figuras importantes a nível nacional do partido já declararam apoio a Gonzaga, denunciando o golpe dado pela Câmara de Vereadores da Itaocara, como fez o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ):

“A verdade é que a oligarquia de Itaocara e do estado do Rio de Janeiro nunca tolerou Gelsimar Gonzaga, um homem do povo, ex-cortador de cana e ex-sindicalista, que se elegeu prefeito em uma campanha com parcos recursos, feita em seu fusquinha. Primeiro prefeito eleito pelo PSOL, logo no início de seu mandato, Gelsimar deu um choque de democracia: secretários municipais foram eleitos em assembleias, com a participação de servidores públicos e da população. Também no primeiro mês de mandato, Gelsimar ganhou a antipatia da maioria dos vereadores ao não aceitar contratar uma empresa de coleta de lixo que garantiria uma “caixinha” para todos. Ao invés de privatizar, Gelsimar comprou mais um caminhão de lixo para o município, o que nunca foi perdoado pelos vereadores. Por isso, em pouco mais de três anos de mandato esta foi a terceira tentativa de cassação que sofreu, numa clara demonstração de perseguição política. As duas primeiras haviam sido interrompidas pela Justiça.

O PSOL vai recorrer imediatamente à Justiça desta decisão descabida e conta com o apoio da população de Itaocara para tomar as ruas, dizendo não ao golpe. Vamos lutar para que Gelsimar possa concluir seu mandato legítimo, e que tenha a oportunidade de concorrer à reeleição.”

A nota publicada por Chico é da Executiva Estadual do partido, no Rio de Janeiro.

By Democratize on February 24, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: