Foto: Brian Quinn/Wellsville Daily Reporter

O primeiro dia após a vitória de Trump e o crescimento de facções extremistas

O primeiro dia após a vitória do republicano Donald Trump nos Estados Unidos foi um misto de mobilizações e ao mesmo tempo de medo. Registros nas redes sociais e em jornais locais mostram aparições relâmpagos de extremistas do Klu Klux Klan, pichações nazi-fascistas, entre outros. Por outro lado, estudantes universitários protagonizaram protestos contra o novo presidente.

Um artigo chamado “Day 1 in Trump’s America”, publicado no Medium, resolveu separar alguns fatos que ocorreram no primeiro dia após a vitória do republicano Donald Trump, que deve ocupar a Casa Branca a partir do dia 20 de janeiro de 2017.

Para abrir o texto, o escritor colocou uma foto que foi tirada em Wellsville, no estado de Nova York, onde os dizeres “Make America White Again” (Faça a América Branca de Novo) foi pichado em um prédio.

Mas não para por ai. Por exemplo, segundo informações do site The Daily Advertiser, uma jovem estudante da Universidade de Louisiana foi atacada e assaltado por dois homens, que vestiam um boné com os dizeres “white Trump”. O mesmo site também verificou que na mesma universidade foram encontradas pichações como “fuck your safe space” e “build wall”. Uma reporter da CBS, do estado da Carolina do Norte, postou uma foto em sua rede social onde um muro na cidade de Durham havia sido pichado com os dizeres “Black Lives Don´t Matter and Neither Does [sic] Your Votes” (algo como “Vidas negras não importam e nem mesmo os seus votos).

Mas a situação piora ainda mais.

Uma suástica com o lema “Seig Heil 2016” foi pichada na frente de uma loja no sul da Philadelphia, segundo o site Philly. Bandeiras com arco-iris (símbolo da comunidade LGBT) foram queimadas na cidade de Rochester, em Nova York, segundo o site Syracuse Post-Standard.

Um funcionário do Google esteve em um posto de gasolina, quando ouviu alguns rapazes dizendo para um dos funcionários: “Time to get out this country, Apu” (Hora de ir embora deste país, Apu). Apu é o nome do personagem indiano, dono de uma loja no desenho Simpsons.

Outros usuários nas redes sociais também elencaram fatos bizarros e extremamente radicais no primeiro dia após as eleições nos Estados Unidos. No Twitter, uma usuária publicou a foto de um carro que ela encontrou perto de sua rua, com bandeiras tradicionalmente relacionadas a grupos como Klu Klux Klan, além de cartazes colados no carro como “Kill Kill Kill”.

A existência de grupos de extrema-direita, beirando o nazi-fascismo, não é novidade nos Estados Unidos.

Porém, o crescimento desses grupos no atual cenário social e político no país é uma realidade. Por exemplo, é o caso do Movimento Nacional Socialista nos Estados Unidos. Uma reportagem da Vox mostrou uma ação do grupo na cidade de Harrisburg (PA), onde centenas de militantes que carregam suásticas e símbolos conservadores norte-americanos, discursavam defendendo o então candidato republicano Donald Trump.

O vídeo mostra claramente o crescimento de grupos nesse sentido, que durante o próximo ano deve ganhar ainda mais adeptos, principalmente por conta da ofensiva midiática que Trump deve enfrentar para conseguir colocar em prática boa parte de seus projetos.

Por outro lado, manifestações organizadas por estudantes universitários ocorrem desde a madrugada de quarta-feira, data em que Trump foi anunciado o novo presidente dos Estados Unidos.

Em Nova York, o cineasta e documentarista Michal Moore chegou a participar de uma dessas passeatas, com centenas de jovens e opositores do republicano. Os protestos continuam até hoje, quinta-feira, com ocupações em universidades e marchas pelo centro das capitais. O protesto em Nova York foi até a frente da “Trump Tower”, prédio onde fica localizada a sede dos negócios do bilionário.

Trata-se de uma prévia do que virá pelos próximos quatro anos, com um crescimento da tensão política entre direita e esquerda nos Estados Unidos, além do enfraquecimento de figuras “diplomáticas” de centro, como foi o caso da candidata democrata Hillary Clinton.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: