Nesta terça-feira (14), uma manifestação convocada por centrais sindicais e movimentos estudantis reuniu mais de 1 milhão de pessoas em…

Na França, protesto contra nova Lei Trabalhista reúne mais de 1 milhão de pessoas

Na França, protesto contra nova Lei Trabalhista reúne mais de 1 milhão de pessoasNesta terça-feira (14), uma manifestação convocada por centrais sindicais e movimentos estudantis reuniu mais de 1 milhão de pessoas em…


Na França, protesto contra nova Lei Trabalhista reúne mais de 1 milhão de pessoas

Foto: Jacky Naegelen/Reuters

Nesta terça-feira (14), uma manifestação convocada por centrais sindicais e movimentos estudantis reuniu mais de 1 milhão de pessoas em Paris. Mais de 20 pessoas ficaram gravemente feridas pela violência da polícia. Protestos ganham força justamente durante a Eurocopa, evento realizado na França.


“Uma das maiores manifestações da nossa história”.

Estampava o site de notícias Le Monde nesta terça-feira (14), após centrais sindicais e movimentos estudantis se organizarem para um dia de mobilização nacional, com protestos e paralisações em diversas cidades da França.

Trata-se de um verdadeiro golpe contra o governo de François Hollande, que continua insistindo nas alterações da Lei Trabalhista mesmo após meses de greves e protestos violentos.

Segundo os sindicatos, cerca de 20 mil pessoas protestaram em Toulouse, e mais de 100 mil em Marselha. Mas o ponto alto foi em Paris. Segundo as centrais sindicais FO e SUD, mais de 1 milhão de pessoas compareceram ao chamado dos movimentos contra a nova Lei Trabalhista.

Um ato histórico, principalmente pelo fato de estar acontecendo a Eurocopa, principal evento esportivo do calendário europeu, justamente na França.

Foto: Jacky Naegelen/Reuters

Segundo informações nas redes sociais, mais de 20 manifestantes ficaram gravemente feridos em Paris, após a polícia reprimir o ato. Segundo o governo, 15 pessoas foram detidas.

Para tentar brecar a possibilidade de encarar mais de 1 milhão de pessoas, os policiais jogaram bombas de gás lacrimogêneo no meio da manifestação. Assim, separando o ato em 2 grupos, passou a perseguir os trabalhadores e estudantes de forma generalizada.

Foto: Dominique Faget/AFP

Desde o começo da Eurocopa, a mídia francesa passou a criminalizar os chamados “black blocs”. Nesta terça, o foco da ação policial foi justamente no grupo de 100 jovens adeptos da tática que estavam na manifestação.

Ao mesmo tempo, uma tentativa de greve geral nesta terça ameaça o evento de futebol: trabalhadores fecharam a Torre Eiffel e interromperam o transporte público no país, justamente quando milhares de fãs de futebol entram na França para assistir aos jogos da Eurocopa.

A pressão dos trabalhadores contra a nova lei começa a dar resultados. Nesta sexta-feira, o secretátio-geral de um dos principais sindicatos do país, CGT, deve se encontrar pela primeira vez desde o início dos protestos com a ministra idealizadora da nova Lei Trabalhista, Myriam El Khomri.


Acompanhe aqui a cobertura da Agência Democratize sobre a mobilização dos trabalhadores na França:

Entenda os protestos na França:

By Democratize on June 14, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: