Mesmo após a divulgação do áudio entre um assessor do deputado Marco Feliciano (PSC), e a jovem que sofreu abusos por parte do pastor, boa…

Mesmo após áudio revelador, grande mídia ignora ‘caso Feliciano’

Mesmo após áudio revelador, grande mídia ignora ‘caso Feliciano’Mesmo após a divulgação do áudio entre um assessor do deputado Marco Feliciano (PSC), e a jovem que sofreu abusos por parte do pastor, boa…


Mesmo após áudio revelador, grande mídia ignora ‘caso Feliciano’

Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Mesmo após a divulgação do áudio entre um assessor do deputado Marco Feliciano (PSC), e a jovem que sofreu abusos por parte do pastor, boa parte dos grandes meios de comunicação continuam em silêncio sobre o assunto, que já viralizou nas redes sociais.


O assunto da semana nas redes sociais é o deputado e pastor Marco Feliciano, do PSC.

Isso por causa de uma reportagem do UOL, envolvendo a figura do deputado e a de uma jovem que faz parte da Juventude de seu partido.

Segundo o UOL, tudo começou no dia 15 de junho em Brasília, quando o deputado “enganou” a jovem, ao convidá-la para uma reunião do partido — sendo que apenas Feliciano estava no apartamento. A partir dai, várias tentativas de abuso partiram por parte do deputado. A vítima relatou que era agredida e gritava por socorro, conseguindo posteriormente se salvar da tentativa de estupro.

Para comprovar o relacionamento abusivo, a jovem salvou várias conversas entre ela e o deputado através de um aplicativo no celular. Segundo a reportagem, o UOL checou se o número que constava nas conversas era realmente de Feliciano — dois assessores garantiram que tratava-se do mesmo celular utilizado pelo deputado.

Parte da conversa entre a jovem e o deputado Marco Feliciano

Agora, nesta quarta-feira (3), o blog Coluna Esplanada do UOL divulgou o áudio da conversa entre a jovem e um assessor do deputado, que por todo o momento tentava abafar o caso. Isso ocorre horas após ela ter publicado um vídeo nas redes sociais, desmentindo a reportagem do UOL. Minutos depois, a publicação foi apagada.

Muito se fala sobre a possibilidade da jovem estar sendo monitorada e chantageada por amigos do parlamentar, além de figuras importantes do partido e igreja. A própria reportagem cita a participação de um assessor do também deputado Celso Russomano (PRB), que teria obrigado a jovem a gravar o vídeo.

Ouça a conversa entre a jovem e o chefe de gabinete do deputado, Talma Bauer:

Veja algumas frases ditas pela jovem durante a conversa:

“Se vale um conselho, manda o Feliciano aquietar o pintinho dele , guardar o pintinho dele’’

“Eu não sou uma menina burra. Eu tenho provas, tenho conversas, que saíram do telefone dele’’

“Provavelmente eu não fui a primeira, e não sou a última. Eu serei a primeira que vai falar! Eu não aceito nada em troca. O que ele fez foi impagável’’.

“Ele não me deixou sair ( do apartamento ), fez coisas à força, eu tenho a mensagem dele: ‘Feliciano, a minha boca ficou roxa’. Ele ri’’

“Se você conhece o Marco Feliciano e trabalha com ele, você com certeza deve saber da conduta dele, da índole dele. Não sejamos hipócritas’’.

“Eu corri atrás de todos os pastores para pedir ajuda e não posso sair prejudicada. Porque se eu sair prejudicada, eu vou à delegacia’’.

Mesmo após a divulgação do áudio, a gravidade do caso não foi o suficiente para boa parte dos grandes veículos de comunicação abordar o tema.

Por exemplo, o próprio jornal Folha de São Paulo, que é parceiro do UOL, não publicou uma nota sequer sobre o tema. Seguindo a mesma linha, o Portal G1 de Notícias, que pertente ao Grupo Globo, também não abordou o caso — assim como o canal de notícias Globonews, e a própria Rede Globo de televisão.

Porém, quando o assunto envolve um caso similar — mas nos Estados Unidos — , a postura dos grandes meios muda completamente.

Em abril deste ano, a Folha deu destaque para a prisão do deputado e ex-presidente da Câmara dos Estados Unidos, Dennis Hastert. Sua prisão foi efetuada por casos de abuso. O deputado, ainda quando professor e treinador em uma escola em Chicago, teria abusado de diversas jovens entre os anos de 1960 e 1980. Hastert foi líder do governo na Câmara na gestão Bush.

E diferente daqui, a imprensa norte-americana não apenas participou da denúncia sobre o caso, como também fez todo o acompanhamento.

By Democratize on August 4, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: