Formado pela JPMDB (juventude do partido) em São Paulo, grupo convoca uma “manifestação nacional” em defesa do presidente interino Michel…

Manifestantes convocam para ato “Fica Temer” no final do próximo mês

Manifestantes convocam para ato “Fica Temer” no final do próximo mêsFormado pela JPMDB (juventude do partido) em São Paulo, grupo convoca uma “manifestação nacional” em defesa do presidente interino Michel…


Manifestantes convocam para ato “Fica Temer” no final do próximo mês

Reprodução/Facebook

Formado pela JPMDB (juventude do partido) em São Paulo, grupo convoca uma “manifestação nacional” em defesa do presidente interino Michel Temer. O ato será organizado em conjunto com os grupos anti-PT, no dia 31 de julho em todo o país.


Um grupo composto por membros da juventude do PMDB em São Paulo convoca a militância e manifestantes para defender o governo interino nas ruas do Brasil, no dia 31 de julho.

O ato coincide com manifestações que devem acontecer nacionalmente organizadas pelos grupos anti-PT — como MBL, Vem pra Rua e Revoltados On Line. Segundo informações da própria página ‘Fica Temer’, a convocação foi feita coletivamente.

Porém, desde o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff ter passado pelo Senado Federal no começo de maio, os grupos que já organizaram gigantes manifestações em 2015 e neste ano não parecem conseguir apoio suficiente de seus seguidores. O motivo é justamente o apoio desses movimentos ao novo governo, que desde a posse tem passado por momentos de turbulência e crise.

Por diversas vezes, seguidores do MBL questionaram a “luta anti-corrupção” do grupo ao defender Michel Temer e seus aliados. O presidente interino foi recentemente citado em mais uma delação na operação Lava Jato, acusado de pedir propina para financiar a campanha de Gabriel Chalita para a prefeitura de São Paulo, em 2012. De lá pra cá, foram pelo menos 3 os ministros indicados por Temer que foram afastados por envolvimento na Lava Jato: Romero Jucá (Planejamento), Fabiano Silveira (Transparência) e Henrique Alves (Turismo).

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Para Romero Jucá, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a decretar a prisão do ex-ministro, por tentar brecar a operação Lava Jato, conforme mostra as gravações feitas pelo empresário e delator Sérgio Machado, envolvendo também outras figuras do partido, como o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o ex-senador José Sarney.

Mesmo com toda a crise interna dentro do governo interino, a proximidade entre MBL e Vem pra Rua com o PMDB se torna cada vez mais evidente.

Recentemente, um dos líderes e fundadores do grupo, Rubinho Nunes, se filiou ao partido em sua cidade, Vinhedo (interior de São Paulo), para disputar a prefeitura neste ano. O grupo também foi denunciado em reportagem do UOL por receber financiamento do PMDB durante as manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff — como também divulgou matéria recente do Diário do Centro do Mundo.

Essa proximidade entre os grupos anti-PT e PMDB se tornam cada vez mais expostas, a partir do momento em que ambos se articulam para uma manifestação contra Dilma e em defesa do presidente interino.

Na evento nacional oficial do grupo, apenas 8 mil pessoas confirmaram presença até o momento, o que mostra a perda de articulação e contato com os manifestantes, decepcionados pela postura dos movimentos anti-PT em defesa de Michel Temer.

No último grande ato convocado pelos grupos, pelo menos 407 mil pessoas confirmaram presença no Facebook em evento do Vem pra Rua, no dia 13 de março.

By Democratize on June 24, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: