O presidente interino Michel Temer assumiu o governo nesta quinta-feira (12) — e os movimentos sociais já deixaram sua mensagem. Manifesta…

Manifestações contra o governo Temer já se espalham pelo país

Manifestações contra o governo Temer já se espalham pelo paísO presidente interino Michel Temer assumiu o governo nesta quinta-feira (12) — e os movimentos sociais já deixaram sua mensagem. Manifesta…


Manifestações contra o governo Temer já se espalham pelo país

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

O presidente interino Michel Temer assumiu o governo nesta quinta-feira (12) — e os movimentos sociais já deixaram sua mensagem. Manifestações se espalharam em São Paulo e Rio Grande do Sul. Mais de 30 mil ocuparam a Avenida Paulista enquanto a sede do PMDB, partido de Temer, era alvo de escracho. Em Porto Alegre a polícia atirou bombas contra manifestantes.


Se antes as manifestações aconteciam apenas de domingo e a cada 5 meses, hoje a situação parece ser diferente.

O motivo é que não estamos mais falando do governo Dilma Rousseff, e sim do novo: o então vice-presidente Michel Temer assumiu nesta quinta-feira a presidência de forma “provisória”, após votação do impeachment de Dilma pelo Senado Federal. Ele terá nas mãos o cargo por até 180 dias, dependendo da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a já afastada presidente petista.

E contra Temer, milhares de pessoas ocuparam as ruas de São Paulo e Rio Grande do Sul na noite de quinta.

Pelo menos 30 mil se manifestaram na Avenida Paulista, em ato convocado por movimentos sociais que fazem parte da Frente Povo Sem Medo. O prédio da presidência da República na avenida foi invadido por manifestantes, que picharam palavras de ordem contra o presidente interino.

Foto: Daniel Arroyo/Democratize

Patos foram queimados “de forma simbólica” em protesto contra a participação da Federal das Indústrias de São Paulo (Fiesp) durante o processo de impeachment de Dilma. A Polícia Militar chegou a fazer uma barreira de proteção para que os manifestantes não chegassem próximo ao prédio, onde ainda existem manifestantes anti-Dilma acampados.

Ao mesmo tempo, manifestantes realizaram um escracho na sede do PMDB, partido de Michel Temer em São Paulo.

Vestidos de ratos, os manifestantes picharam palavras de ordem contra a participação da mídia no processo de impeachment, além de outros alvos como o próprio Temer, PMDB e os tucanos.

De lá, os manifestantes partiram pra Paulista.

No Rio Grande do Sul, manifestantes também se manifestaram.

Em ato convocado de forma espontânea nas redes sociais, cerca de mil pessoas caminharam nas ruas de Porto Alegre contra o presidente interino Michel Temer.

Em determinado momento, para “desbloquear a via”, a Polícia Militar acabou agindo contra os manifestantes, atirando bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo.

Foto: Daniel Arroyo/Democratize

As manifestações contra Michel Temer não devem parar por ai.

Um grande ato já foi convocado pela Frente Povo Sem Medo para o Rio de Janeiro no final da tarde de hoje, com concentração na Cinelândia a partir das 18 horas.

By Democratize on May 13, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: