O trabalhista Sadiq Khan foi eleito o primeiro prefeito muçulmano de Londres, nesta sexta-feira (6). Trabalhista e de esquerda, Khan …

Londres elege 1º prefeito muçulmano: mas o que nos preocupou foi a reação dos brasileiros

Londres elege 1º prefeito muçulmano: mas o que nos preocupou foi a reação dos brasileirosO trabalhista Sadiq Khan foi eleito o primeiro prefeito muçulmano de Londres, nesta sexta-feira (6). Trabalhista e de esquerda, Khan …


Londres elege 1º prefeito muçulmano: mas o que nos preocupou foi a reação dos brasileiros

Foto: Reprodução

O trabalhista Sadiq Khan foi eleito o primeiro prefeito muçulmano de Londres, nesta sexta-feira (6). Trabalhista e de esquerda, Khan é filho de um motorista de ônibus paquistanês e derrotou um bilionário conservador. Porém, a reação dos brasileiros nas redes sociais foi um tanto quanto preocupante.

“É assim que eles chegam… primeiro falam de paz, de tolerância enquanto são minoria. Quando eles dominam implantam a Sharia ai já era”.

Esse foi o comentário “mais bem avaliado” em uma notícia da BBC Brasil sobre o favoritismo de Sadiq Khan nas eleições para prefeito de Londres. Com 103 curtidas só no comentário, esse tipo de argumento foi seguido por outros brasileiros que resolveram comentar sobre o trabalhista muçulmano que se tornou prefeito de Londres nesta sexta-feira (6).

Khan, além de ser trabalhista e de esquerda, é filho de um casal de imigrantes do Paquistão. Seu pai, motorista de ônibus, é o ícone “inspirador” de Sadiq. “Se estou aqui hoje é por causa das oportunidades que esta cidade me deu, a mim e à minha família… E a minha forte ambição para a nossa cidade, aquela que irá me guiar, é garantir que todos os londrinos terão as oportunidades que a nossa cidade me ofereceu”, disse o recém-eleito prefeito.

“Hoje pensei muito no meu falecido pai… foi um homem maravilhoso e um grande pai. Estaria muito orgulhoso, orgulhoso por a cidade que escolheu o seu filho como prefeito”, relembrou Sadiq em seu pronunciamento.

Mas não foi fácil: o trabalhista teve de passar por cima de um bilionário conservador para conseguir o cargo de prefeito. Tanto o bilionário e candidato Zac Goldsmith quanto o próprio primeiro-ministro britânico, David Cameron, lançaram uma verdadeira “campanha de ódio” contra Sadiq, sendo alvo de acusações de proximidades com extremistas islâmicos.

Mas enquanto Londres e o próprio Reino Unido deram um passo importante pela diversidade e contra o preconceito, o Brasil parece estar bem atrás disso.

Ano passado, em entrevista, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) deu uma declaração chamando os refugiados de “escória do mundo”.

Após ser questionado sobre a situação dos militares no Brasil, o deputado diz que eles estão “desaparelhados”.

“Não sei qual é a adesão dos comandantes, mas, caso venham reduzir o efetivo [das Forças Armadas] é menos gente nas ruas para fazer frente aos marginais do MST, dos haitianos, senegaleses, bolivianos e tudo que é escória do mundo que, agora, está chegando os sírios também. A escória do mundo está chegando ao Brasil como se nós não tivéssemos problema demais para resolver”, disse.

A extrema-direita brasileira já pregou peças contra imigrantes haitianos nos últimos anos, como casos de violência ou até mesmo ações questionando a presença deles no Brasil, como no vídeo abaixo.

A vitória de Sadiq também gerou comentários de raiva e ódio contra imigrantes e muçulmanos no Facebook. Mas o que mais chamou a atenção foi que parte desses comentários partiram justamente do Brasil.

Separamos alguns comentários.

Primeiro, do post publicado pela BBC Brasil em seu Facebook oficial.

“Começa assim, um dia cheio, no outro deputado, no outro prefeito, depois vira sei lá governador de província, e depois primeiro-ministro, e depois ai já era parceiro, tá tudo fodido”.

“Depois os ingleses vão chorar, fica dando corda pra ver! Vai candidatar para alguma coisa em país muçulmano pra ver! Depois vão chorar sobre o leite derramado, igual nós com os comunistas do PT! Bando de trouxas!”

“Parabéns Londres, vocês serão esmagados pela sua arrogância e sua ditadura do politicamente correto, negaram os valores que os mantinham em harmônia, se preparem pois o monstro que vocês criaram cresceu e está com muita fome. Vocês começarão a conhecer o inferno islâmico. Good Bye!”

Acompanhamos alguns comentários de outra publicação no Facebook, desta vez na página do EL PAIS Brasil.

“Um grande avanço no programa islâmico de dominação da Europa, quando se derem conta será tarde demais e a sharia vai aniquilar todos.”

“Hoje ele se faz de carismático, mas amanhã poderá fazer o inverso não sendo imparcial com a população e dando poder aos muçulmanos que hoje vivem em Londres.”

“Não existia minoria radical no islamismo, eles apoiam a sharia, que não respeita a dignidade humana.”

No Twitter, pesquisamos sobre alguns comentários relacionando “Londres” e “sharia”.

Enquanto o resto do mundo, principalmente na Europa, a sociedade parece buscar uma igualdade que possa atrevessar religiões e nacionalidades, o Brasil caminha pelo caminho oposto, guiado pelo conservadorismo cristão e por “ícones políticos” de extrema-direita que ganham cada vez mais espaço na mídia.

Por enquanto, não parece algo extremamente grave que mereça atenção. Mas, um possível crescimento econômico brasileiro através de uma estabilidade política democrática abriria espaço para o desejo de cidadãos de países em guerra no Oriente Médio e África virem para cá.

A questão é: será que estaremos prontos para isso?

By Democratize on May 8, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: