Contra o racismo e a violência policial, protestos se espalharam entre jogadores da NFL, principal liga de futebol americano nos Estados…

Jogadores da NFL protestam contra a violência policial nos EUA

Jogadores da NFL protestam contra a violência policial nos EUAContra o racismo e a violência policial, protestos se espalharam entre jogadores da NFL, principal liga de futebol americano nos Estados…


Jogadores da NFL protestam contra a violência policial nos EUA

Foto: Stephen Brashear/APP

Contra o racismo e a violência policial, protestos se espalharam entre jogadores da NFL, principal liga de futebol americano nos Estados Unidos. No momento do hino nacional, os jogadores se ajoelham e levantam os punhos.


O racismo e a violência policial continuam sendo um tema polêmico nos Estados Unidos, principalmente após a série de mortes de negros nas mãos de agentes de segurança pública no país.

Desta vez, as manifestações não estão nas ruas. E sim dentro dos estádios.

Jogadores da NFL, maior liga de futebol americano nos Estados Unidos, resolveram protestar durante o hino norte-americano nos jogos. De joelhos e com os punhos levantados, pelo menos 18 jogadores da liga já se manifestaram sobre o tema até agora.

A iniciativa partiu do jogador Colin Kaepernick, do San Francisco. De lá pra cá, vários colegas resolveram apoiar e seguir com o protesto: Eric Reid, Antoine Betha e Eli Harold, do mesmo clube. Além de jogadores de outros times, como o Seattle Seahawks, Denver Broncos, Kansas City Chiefs, Miami Dolphins, Tennessee Titans, New England Patriots e Los Angeles Rams.

Porém, vários jogadores questionaram a atitude de Colin, alegando que trata-se de um “desrespeito a bandeira americana”. O protesto mais notório aconteceu no último domingo, dia 11, aniversário do atentado terrorista contra o World Trade Center em Nova York.

Enquanto o protesto se espalha, ele vai ganhando novas características. O jogador Marcus Peters, do Kansas City Chiefs, não apenas se ajoelhou e levantou os punhos, como também vestiu uma luva preta — gesto que lembra os velocistas Tommie Smith e John Carlos, que ficaram no pódio após a vitória nos Jogos Olímpicos de 1968 na Cidade do México.

Em comunicado, os jogadores afirmaram: “É nosso trabalho como atletas profissionais trazer um impacto positivo sobre as nossas comunidades, e ser pró-ativo quando a mudança é necessária”, se referindo aos casos de racismo e violência nas comunidades negras do país.

O assunto tem causado grande comoção e repercussão nos meios de comunicação e na opinião pública norte-americana. Enquanto alguns acusam os jogadores de desrespeito ao país, boa parte pareceu entender o recado dado sobre o racismo e a violência policial. Nos últimos 2 anos, protestos se espalharam por cidades como Ferguson e Baltimore, após jovens negros terem sido assassinados cruelmente por policiais sem justificativa, trazendo a questão racial de volta para o foco político e social nos Estados Unidos.

By Democratize on September 13, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: