Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Grandes manifestações são convocadas após aprovação da PEC 241 na Câmara

Após a aprovação em primeiro turno da PEC 241, que tem como principal foco o congelamento do investimento do governo nas áreas sociais, grupos convocam manifestações nas redes sociais para esta terça-feira (11) e para a próxima segunda (17), em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro.

Com 366 votos, a PEC 241 foi aprovada pela Câmara dos Deputados em primeiro turno nesta segunda-feira (10). A repercussão foi completamente negativa nas redes sociais e perante a opinião pública — apesar dos editoriais pró-reforma nos grandes meios de comunicação.

Trata-se apenas do primeiro passo que a PEC do Fim do Mundo, como tem sido apelidada, terá de passar. São quatro etapas, incluindo mais uma votação na Câmara, e pelo menos 2 no Senado Federal.

A PEC 241 tem como objetivo, em teoria, “controlar os gastos públicos da União”. Porém, segundo vários críticos e economistas, trata-se de um projeto inconstitucional, por alterar a forma de investimento do Estado em setores sociais, como Educação e Saúde. O orçamento de ambas as áreas, além dos programas sociais, será congelado por 20 anos caso aprovado — isso mesmo se o Brasil sair da crise nos próximos anos.

A medida é defendida pelo presidente Michel Temer (PMDB) e sua base aliada, como o PSDB, DEM e demais siglas. Além deles, empresários como Paulo Skaf (Fiesp) e membros de grupos anti-PT (MBL e Vem pra Rua) defendem o projeto.

Porém, a reação da sociedade não parece seguir o esperado pelo governo.

Em poucas horas após a aprovação, duas manifestações que estão ganhando caráter nacional foram convocadas.

A primeira ocorre hoje na Avenida Paulista, sendo convocada pela Frente Povo Sem Medo. Até o momento, mais de 2 mil pessoas confirmaram presença no evento do Facebook, enquanto quase 5 mil demonstraram interesse em comparecer. O ato começa às 18 horas no vão livre do Masp.

Para segunda-feira (17), os protestos continuam. Convocado pelo grupo autônomo Democracia na Real, o ato da segunda já conta com mais de 14 mil confirmados, além de outras 28 mil pessoas demonstrando interesse através do evento no Facebook. O protesto também foi marcado para o vão livre do Masp, às 18 horas.

Foto: Wladimir Raeder/Democratize

O mesmo deve acontecer no Rio de Janeiro, no dia 17. Com concentração na Cinelândia às 17 horas, mais de 11 mil pessoas confirmaram presença, enquanto 13 mil demonstraram interesse no protesto convocado para o Rio.

Outras manifestações devem ocorrer ainda nas capitais Salvador, Florianópolis, Porto Alegre e demais cidades.

Mas as manifestações espontâneas continuam ocorrendo mesmo antes dos atos. Na noite desta segunda, estudantes ocuparam por horas o escritório da Presidência da República na Avenida Paulista, contra a PEC 241. Na manhã de hoje no Rio, alunos do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), ocuparam o campus Realengo contra o projeto, além de se opor também a MP 746 (a reforma no Ensino Médio) e o projeto Escola Sem Partido.

Em Florianópolis, uma manifestação foi reprimida pela Polícia Militar na noite desta segunda, também se posicionando contra a PEC 241.

Desta forma, Michel Temer corre o risco de repetir com ainda mais força as manifestações que tomaram conta do país em sua primeira semana de governo após a oficialização do afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff.

A diferença é que, agora, o risco de novos adeptos comparecerem aos atos é maior.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: