Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo afirma que por conta da passagem da tocha paraolímpica na região da…

Governo publica nota afirmando que não irá permitir protesto no domingo

Governo publica nota afirmando que não irá permitir protesto no domingoEm nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo afirma que por conta da passagem da tocha paraolímpica na região da…


Governo publica nota afirmando que não irá permitir protesto no domingo

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo afirma que por conta da passagem da tocha paraolímpica na região da Avenida Paulista, o protesto convocado pela Frente Povo Sem Medo não será permitido. Até o momento, três manifestações seguidas contra Michel Temer sacudiram a cidade.


Depois de reprimir de forma violenta três protestos seguidos em São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública publicou em nota oficial que não irá permitir a realização de uma manifestação no domingo, na Avenida Paulista.

O ato, convocado pela Frente Povo Sem Medo, foi marcado para as 14 horas no vão livre do Masp, e já conta com a confirmação de 25 mil pessoas no evento do Facebook.

A primeira manifestação que começou a onda de revolta em São Paulo foi organizada justamente pela Frente Povo Sem Medo, na segunda-feira (29) na Avenida Paulista. Após a PM bloquear a passagem dos manifestantes em direção ao prédio da Fiesp, policiais agrediram e dispararam gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral contra o protesto.

A partir dai, pelo menos mais duas manifestações ocorreram — todas sem a organização da Frente Povo Sem Medo, convocadas nas redes sociais. Todas aconteceram com concentração na Avenida Paulista, e terminaram com mais repressão policial.

Hoje (01), a quarta manifestação ocorre com concentração no vão livre do Masp.

Porém, a nota divulgada pela SSP já afirma que nenhum dos organizadores entrou em contato com a Polícia Militar, informando trajeto, horário ou local de concentração. Portanto, segundo a nota, trata-se de um ato “inconstitucional”.

Essa mesma norma já havia sido adotada no começo deste ano pelo ex-secretário e atual ministro Alexandre de Moraes, em relação aos protestos do Movimento Passe Livre, que foram brutalmente reprimidos no mês de janeiro. Porém, a mesma lógica não foi replicada nos protestos a favor do impeachment no mês de março, quando manifestantes chegaram a bloquear trechos da Avenida Paulista por mais de 48 horas.

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Leia a nota completa divulgada pela SSP:

“Diante da ocorrência de protestos violentos, com atos de vandalismo, ocorridos ontem, a Secretaria de Segurança Pública reuniu nesta quinta-feira, 1 de setembro, os comandos das Polícias Civil e Militar e vem a público reafirmar que respeita o direito de manifestação e está empenhada em garantir a segurança dos manifestantes.

Ressalta ainda que, conforme determina a Constituição, é obrigatória a comunicação de hora, local e trajeto em que se realizarão os atos públicos. Para que sejam preservados os direitos das pessoas que não participam das manifestações e garantida a ordem pública, será evitado o fechamento das vias importantes da cidade. A SSP informa ainda que até o momento não recebeu qualquer comunicado oficial de movimentos organizados dando ciência da realização de manifestações públicas nos próximos dias.

Por fim, a secretaria alerta que, no domingo, não será permitida a realização de atos na Avenida Paulista, pois toda a extensão da avenida estará reservada para o evento de passagem da tocha paraolímpica, que integra a cerimônia oficial dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016.”

By Democratize on September 1, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: