Mais de 30 mil pessoas se mobilizaram na manifestação convocada pela Frente Povo Sem Medo, em defesa da democracia nesta quinta-feira (24)…

Frente Povo Sem Medo coloca 30 mil em frente ao prédio da Globo

Frente Povo Sem Medo coloca 30 mil em frente ao prédio da GloboMais de 30 mil pessoas se mobilizaram na manifestação convocada pela Frente Povo Sem Medo, em defesa da democracia nesta quinta-feira (24)…


Frente Povo Sem Medo coloca 30 mil em frente ao prédio da Globo

Foto: Alice V/Democratize

Mais de 30 mil pessoas se mobilizaram na manifestação convocada pela Frente Povo Sem Medo, em defesa da democracia nesta quinta-feira (24), em São Paulo. O ato percorreu uma região nobre da capital, terminando em frente ao prédio da Rede Globo.

A cidade de São Paulo continua fervendo com mobilizações contra e a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Na noite desta quinta-feira, foi a vez da Frente Povo Sem Medo mobilizar mais de 30 mil pessoas nas ruas da capital. O ato, convocado em defesa da legalidade e da democracia, teve uma massiva presença de militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), mas também marcou pela sua composição eclética.

Organizações sindicais como a Intersindical também marcaram presença. Movimentos estudantis do PSOL, como o Juntos, levantaram a bandeira por novas eleições gerais, defendida pela ex-presidenciável do partido, Luciana Genro. Por outro lado, a corrente Esquerda Marxista defendeu uma assembleia constituinte popular, com participação da sociedade civil.

Apesar do ato ser marcado para fazer frente contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a diferença no tom dos discursos foi bem clara, em comparação com a manifestação convocada por movimentos sociais e sindicais no dia 18 de março na Avenida Paulista, que reuniu mais de 100 mil pessoas. Lideranças como o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos, e o deputado federal Ivan Valente (PSOL) não deixaram de criticar e cutucar o governo petista, falando sobre a importância da mobilização nas ruas contra o ajuste fiscal e a lei anti-terrorismo, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff na semana passada.

Foto: Daniel Arroyo/Democratize

Ironicamente, o destino da manifestação foi a sede da Rede Globo em São Paulo, na região do Morumbi.

Um projetor foi utilizado no Shopping Iguatemi e também no prédio da Globo, com dizeres “contra o Golpe”, criticando o posicionamento reacionário e seletivo da emissora, além de figuras políticas como o deputado federal e presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).

Durante todo o trajeto a Polícia Militar acompanhou a manifestação, mas sem interferências.

A manifestação desta quinta-feira encerra uma semana de mobilizações pelas universidades e ruas, em favor da democracia e contra o impeachment de Dilma Rousseff.

Do outro lado, a mobilização pela saída da presidenta parece perder o rumo e um pouco de sua capacidade de articulação. Muito se deve ao fato do ex-presidente Lula ter conseguido neutralizar os ataques desses movimentos com uma defesa através dos movimentos sociais e sindicais, que possuem uma capacidade de mobilização muito maior do que os grupos pró-impeachment. Outro fator que interfere na oposição é a recente divulgação dos documentos da Odebrecht para a Operação Lava Jato, onde detalha doações da empresa para figuras importantes no front pelo impeachment, como o senador Aécio Neves (PSDB), e os deputados Paulinho da Força (Solidariedade), Rodrigo Maia (DEM) e até mesmo Eduardo Cunha.

Foto: Felipe Malavasi/Democratize

A próxima grande mobilização dos movimentos de esquerda em defesa da democracia deve ocorrer no dia 31 deste mês, em todo o país. Uma grande caravana já é articulada para levar militantes e manifestantes para Brasília, saindo de todos os estados do Brasil.

Por outro lado, para o dia 1 de abril, manifestações também devem ocorrer nacionalmente, mas convocadas por setores de esquerda que não pretendem defender o “fica Dilma”, como o PSTU, o sindicato CSP-Conlutas, além de setores do PSOL e PCB, em um dia de mobilizações articulado pelo Espaço de Unidade de Ação, onde bandeiras diversificadas devem ser levantadas — como a própria pauta por novas eleições gerais no Brasil.

Veja mais fotos da manifestação da Frente Povo Sem Medo desta quinta-feira em São Paulo, pelos fotografos Felipe Malavasi, Daniel Arroyo e Alice V, para o Democratize:

Fotos: Felipe Malavasi/DemocratizeFotos: Daniel Arroyo/DemocratizeFotos: Alice V/Democratize

By Democratize on March 25, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: