Nessa sexta feira (2), teve Ato fora Temer no Rio de Janeiro, organizado por movimentos independentes de estudantes e trabalhadores, se…

‘Fora Temer’ no Rio termina com agressão da polícia e três feridos

‘Fora Temer’ no Rio termina com agressão da polícia e três feridosNessa sexta feira (2), teve Ato fora Temer no Rio de Janeiro, organizado por movimentos independentes de estudantes e trabalhadores, se…


‘Fora Temer’ no Rio termina com agressão da polícia e três feridos

Foto: Bárbara Dias/Democratize

Nessa sexta feira (2), teve Ato fora Temer no Rio de Janeiro, organizado por movimentos independentes de estudantes e trabalhadores, se concentrou na Cinelândia seguiu pelas ruas do centro do Rio de Janeiro, sob forte escolta e intimidação da Polícia Militar, ao chegar a Lapa houve agressão da polícia e três manifestantes ficaram feridos.


Por Bárbara Dias

O ato que foi organizado de maneira independente, teve um tom bastante combativo, ao contrário dos dois protestos anteriores organizados pela Frente Brasil Popular e pelo Povo Sem Medo. Mesmo sob forte pressão da polícia, que por várias vezes tentou bloquear os ativistas de continuarem seu protesto, seguiu pelas ruas do centro do Rio de Janeiro, gritando palavras de ordem contra o governo ilegítimo de Michel Temer.

Uma das paradas do ato, foi em frente a sede do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que fica na Rua Almirante Barroso, chegando lá os manifestantes encontraram o local cercado por um cordão policiais, que impediu uma ação mais direta.

Foto: Bárbara Dias/Democratize

Seguindo até a Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro, o ato já estava quase dispersando, quando os policiais começaram a cercar e agredir com cacetadas e spray de pimenta a todos que se encontravam ali. As agressões foram gratuitas, pessoas que estavam nos bares e restaurantes da região se assustaram com a violência da polícia.

Após as agressões, revistas a ativistas e intimidações contra a imprensa, três pessoas ficaram feridas pela ação desproporcional da policia militar. Um senhor teve um corte na boca ao cair durante a confusão, uma estudante teve o braço quebrado por uma cacetada e uma ativista trans que milita no movimento negro, teve braço e pernas feridos, além de ataques convulsivos por ter sido agredida na cabeça pela polícia.

Todos os feridos foram socorridos pelos voluntários da Cruz Vermelha Brasileira, que acompanharam o ato, após os primeiros socorros, os feridos foram encaminhados ao hospital Souza Aguiar.

Veja fotos:

Foto: Kauê Pallone/DemocratizeFotos: Kauê Pallone/Democratize


Bárbara Dias é professora da rede pública e fotojornalista pela Agência Democratize no Rio de Janeiro

By Democratize on September 3, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: