O filme brasileiro Boi Neon, dirigido por Gabriel Mascaro e estrelado por Juliano Cazarré, resolveu boicotar a indicação para representante…

Filme Boi Neon decide “boicotar” indicação ao Oscar contra ministério de Temer

Filme Boi Neon decide “boicotar” indicação ao Oscar contra ministério de TemerO filme brasileiro Boi Neon, dirigido por Gabriel Mascaro e estrelado por Juliano Cazarré, resolveu boicotar a indicação para representante…


Filme Boi Neon decide “boicotar” indicação ao Oscar contra ministério de Temer

Foto: Tiziana Fabi/AFP

O filme brasileiro Boi Neon, dirigido por Gabriel Mascaro e estrelado por Juliano Cazarré, resolveu boicotar a indicação para representante do Brasil para o Oscar 2017. A postura ocorre por conta da possível censura por parte do Ministério da Cultura de Michel Temer, contra o filme Aquarius.


Mesmo após trazer de volta o Ministério da Cultura, o interino Michel Temer parece estar longe de agradar a classe artística.

Desta vez foi o longa Boi Neon, estrelado pelo ator Juliano Cazarré, que entrou na briga contra o atual governo.

Segundo o diretor Gabriel Mascaro, as pessoas envolvidas no filme resolveram não participar da indicação brasileira ao Oscar 2017, por conta da postura do Ministério da Cultura contra outro filme nacional, o Aquarius, dirigido por Kleber Mendonça Filho. No festival de Cannes, na França, atores e equipe protagonizaram um protesto contra Michel Temer e em defesa da democracia, cerca de seis dias após o interino assumir o governo.

A partir dai, a relação entre o governo interino e a produção de Aquarius não foi das melhores. Primeiramente, o Ministério da Justiça decidiu colocar como classificação indicativa do filme a idade de 18 anos, afirmando que o material “tem situação sexual complexa”. A distribuidora do longa, Vitrine Filmes, tentou reverter a situação mas sem sucesso. Para muitos, tratou-se da primeira ofensiva de Temer contra a equipe de Aquarius, que inclui uma das melhores atrizes brasileiras no cinema, Sônia Braga.

Agora, é o filme de Gabriel Mascaro que resolveu comprar briga com Michel Temer.

Segundo a produção do longa, “é lamentável que o Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual, endosse na comissão de seleção um membro que se comportou de forma irresponsável e pouco profissional ao fazer declarações, sem apresentação de provas, contra a equipe do filme Aquarius, após o seu protesto no tapete vermelho de Cannes”. A equipe de Boi Neon ainda destacou que “Aquarius foi o único filme latino-americano na competição oficial de Cannes, tendo sido aclamado pela crítica internacional”.

Indicado por Temer para a comissão do Ministério da Cultura para o Oscar, Petrucelli criticou não apenas Aquarius, como também a mobilização contra o interino

Mascaro se refere à indicação de Marcos Petrucelli à comissão responsável por escolher o filme brasileiro que pode disputar uma vaga no prêmio americano.

Outro filme que seguiu o mesmo caminho de Boi Neon foi o longa Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert, que também decidiu por boicotar a comissão do Ministério da Cultura para o Oscar.

Assista ao trailer de ambos os filmes:

By Democratize on August 25, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: