A manifestação percorreu as ruas do Centro até o Masp e unificou a luta com os demais alunos do estado. No trajeto os estudantes gritavam…

Estudantes das Etecs fazem paralisação e ato pela falta de merenda

Estudantes das Etecs fazem paralisação e ato pela falta de merendaA manifestação percorreu as ruas do Centro até o Masp e unificou a luta com os demais alunos do estado. No trajeto os estudantes gritavam…


Estudantes das Etecs fazem paralisação e ato pela falta de merenda

Foto: Felipe Malavasi/Democratize

A manifestação percorreu as ruas do Centro até o Masp e unificou a luta com os demais alunos do estado. No trajeto os estudantes gritavam palavras de ordem cobrando o governador Geraldo Alckmin sobre a ausência da merenda e cortes de investimento nas Etecs.

A mobilização dos estudantes está cada vez mais sólida e na manhã de ontem (20) foi realizada a paralisação das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e ato unificado pela merenda e contra o corte na instituição, na região da Luz, em São Paulo. Participaram cerca de 500 alunos de diversas unidades que seguiram para o Centro Paula Souza, autarquia do Governo do Estado que administra as unidades de ensino, na Santa Ifigênia.

Antes de chegar na concentração, alunos da escola Fernão Dias Paes, que foram apoiar a manifestação fizeram um catracaço na estação Sumaré e foram agredidos por funcionários do metrô.

A ação foi convocada para reivindicar a ausência da merenda, sobretudo no curso de ensino médio integrado, no período integral, em que os alunos ficam sem receber qualquer tipo de alimento. A opção é trazer marmita, ou aqueles que tiverem condições financeiras comprar comida nos arredores da escola. Entretanto, os prédios são antigos não possuem espaço adequado para as refeições. Outra pauta é corte de 78% para reformas e investimento em novas Etecs e a precarização do ensino, com a falta de reajuste salarial dos professores.

O protesto foi acompanhado por poucas viaturas da polícia militar e ao chegar no Centro Paula Souza, os estudantes fizeram assembleia para definir novo trajeto do ato e acabaram escolhendo o Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista.

Foto: Gabriel Soares/Democratize

Sob o sol quente e entoando palavras de ordem, os alunos passarem em frente a Secretaria Estadual da Educação, subiram a Rua da Consolação até chegar ao Masp. A PM não tentou dispersar os estudantes e permitiu que o ato fosse concluído. “No geral foi bem massante, mas foi impactante por mostrar que as Etecs e os secundaristas tem uma luta unificada. Muitas pessoas vieram pela primeira vez e puderam perceber como funciona uma manifestação e se integrar desse processo”, disse Gabriel Otávio da Etec Raposo Tavares.

Ao final da manifestação, os alunos se reuniram no vão livre do Masp para exposição dos problemas de cada Etec e assembleia sobre a paralisação do próximo dia 28, com todos os estudantes e professores da rede estadual de ensino.

Sobre a estrutura dos prédios e a falta da merenda, o Centro Paula Souza informou por meio da assessoria de comunicação que segue trabalhando para solucionar questões pontuais com a readequação da estrutura disponível em algumas unidades e a negociação com a prefeituras e Secretaria da Educação para o fornecimento da merenda.

Foto: Felipe Malavasi/Democratize

Também informou que nos últimos meses investiu mais de R$ 250 milhões na ampliação e melhoria estrutural da rede de educação profissional, que incluem armazenamento e preparo de merendas, disponíveis em aproximadamente 200 Etecs.

Em relação a contenção dos investimentos, esclareceu que não houve corte de 78% na instituição e que o plano de expansão, já atendeu a maior parte das cidades paulistas e que prioriza a melhora da estrutura das unidades existentes.


Reportagem por Carol Nogueira, jornalista e colaboradora da Agência Democratize

By Democratize on April 21, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: