O que Goiás e São Paulo tem em comum? Além de um governador do mesmo partido, PSDB, protestos de secundaristas pela Educação foram…

Em Goiás, protesto de estudantes também é reprimido pela polícia

Em Goiás, protesto de estudantes também é reprimido pela políciaO que Goiás e São Paulo tem em comum? Além de um governador do mesmo partido, PSDB, protestos de secundaristas pela Educação foram…


Em Goiás, protesto de estudantes também é reprimido pela polícia

Foto: Coletivo Desneuralizador

O que Goiás e São Paulo tem em comum? Além de um governador do mesmo partido, PSDB, protestos de secundaristas pela Educação foram reprimidos em ambos os estados nos dois últimos dias.


Não tem sido tarefa fácil se manifestar pela melhoria do ensino público nos estados administrados pelo PSDB.

O episódio mais recente aconteceu nesta quinta-feira (19), em Goiânia.

A manifestação foi convocada por estudantes das escolas públicas do estado, contra a privatização e a militarização do ensino público em Goiás. O ato marchou da Praça Universitária em direção a Praça Cívica.

Através das redes sociais, os estudantes relataram os casos de violência, e compararam a abordagem policial feita contra eles e a aplicada em outra marcha — “Marcha contra o Aborto”, realizada também nesta quinta-feira, sendo escoltada pela Polícia Militar.

Pelo menos três estudantes foram presos, sendo uma secundarista chamada Bárbara, de apenas 17 anos, além dos estudantes Rafael e Pedro, ambos da UFG. As prisões foram cometidas sem algum flagrante.

Nas redes, o Coletivo Desneuralizador relatou casos de agressões contra os adolescentes.

O estado de Goiás, assim como São Paulo, é governado por um tucano: Marconi Perillo.

No final do ano passado, cerca de 30 escolas estaduais foram ocupadas em todo o estado contra as OSs e a militarização do ensino. Em determinado momento, com a criminalização do movimento atingindo seu ápice, pelo menos 30 pessoas (em sua maioria estudantes) foram presos de forma autoritária e ilegal pela polícia, durante as ocupações.

Algo parecido com o que aconteceu em São Paulo nos últimos meses.

Também no final de 2015, mais de 200 escolas foram ocupadas em São Paulo contra o projeto de reorganização escolar — posteriormente “adiado” pelo governador Geraldo Alckmin, do PSDB. Neste ano, protestos e ocupações pela merenda aconteceram nas últimas semanas.

Cerca de 54 estudantes foram presos na semana passada, enquanto ocupavam a Etesp e duas diretorias de ensino.

Nesta quarta-feira (18), foram 4 os manifestantes presos em protesto pelos secundaristas, no Centro de São Paulo. A polícia — assim como em Goiás — adotou a tática de diálogo zero com os estudantes, causando vítimas.

As ocupações em Goiás fazem parte do documentário em produção pelo Democratize, chamado “Ocupar e Resistir”. Veja o teaser abaixo e siga a página do Coletivo Desneuralizador para acompanhar a mobilização estudantil em Goiás.

By Democratize on May 19, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: