Foto: Reprodução/Youtube

Dossiê questiona possível complô da Samarco para rompimento da barragem

Dossiê articulado por ativistas e moradores da região de Bento Rodrigues mostra a possível existência de um complô entre governos e a Samarco para o ropimento da barragem, em novembro do ano passado. Segundo informações divulgadas no vídeo, a mineradora poderia ter causado o desastre de forma proposital.

Próximo de completar um ano, a tragédia humanitária em Mariana (MG) ainda causa sofrimento e muitas teorias sobre como aquilo ocorreu.

Além das vidas que foram tiradas, o rompimento da barragem da Samarco causou principalmente a perda de tudo que centenas de moradores da região atingida tinham: casas, automóveis, roupas, bens – tudo conquistado com um árduo trabalho daquela população.

Mas, e se tudo aquilo ocorreu de forma proposital?

É a pergunta que ativistas e moradores de Bento Rodrigues fazem em um dossiê, divulgado em vídeo de forma anônima nas redes sociais.

O “Dossiê Mirandinha” mostra a autorização do governo de Minas Gerais para a Samarco construir um dique para conter os rejeitos de lama da barragem de Fundão, administrada pela mineradora e que rompeu em novembro do ano passado, causando a tragédia para centenas de famílias. Esse dique inundaria parte do que restou de Bento Rodrigues.

O vídeo vai além, mostrando uma gravação de 2012, três anos antes da tragédia, onde um homem comenta sobre os planos da Vale e Samarco sobre Bento Rodrigues.

Também é possível ver trechos com imagens da grande mídia, como a Rede Globo, mostrando especialistas e funcionários da empresa defendendo a criação do dique, que seria “necessário” para a segurança da população que ainda vive em torno do local.

Antes da tragédia, moradores já haviam comentado sobre tentativas da Samarco de adquirir suas propriedades para utilizar do terreno em torno de Bento Rodrigues para a construção do dique. Porém, nenhum dos moradores havia aceitado a proposta da mineradora.

Em um áudio gravado em 2016 no local, é possível ouvir a conversa entre dois homens (um deles morador) sobre um possível complô da Samarco, que teria articulado propositalmente o rompimento da barragem para conseguir com mais facilidade a autorização para construção do dique e inundação do restante de Bento Rodrigues.

Veja:

Entramos em contato com a Vale do Rio Doce e a mineradora Samarco sobre o tema, porém não obtivemos retorno até o momento.

O governo de Minas Gerais afirma desconhecer qualquer plano da Samarco sobre a região, afirmando agir conforme as necessidades e segurança dos moradores do local.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: