Repudiando lideranças até de movimentos de direita, manifestantes que ocupavam a Paulista expulsam fundador do Revoltados On Line e mostram…

Criaram o monstro e não souberam cuidar

Criaram o monstro e não souberam cuidarRepudiando lideranças até de movimentos de direita, manifestantes que ocupavam a Paulista expulsam fundador do Revoltados On Line e mostram…


Criaram o monstro e não souberam cuidar

Foto: Felipe Malavasi/Democratize

Repudiando lideranças até de movimentos de direita, manifestantes que ocupavam a Paulista expulsam fundador do Revoltados On Line e mostram uma face preocupante de violência e extremismo.

Na foto acima, um estudante de 17 anos é linchado por manifestantes após gritar “Não vai ter golpe” na Avenida Paulista, nesta quinta-feira (17). Naquele momento, cerca de mil pessoas ocupavam a via em frente ao prédio da Fiesp, por mais de 24 horas.

A Secretaria de Segurança Pública, pelo comando do secretário Alexandre de Moraes, demorou muito tempo pra tomar uma atitude. Ocupada desde quarta-feira a noite, o local só foi liberado na manhã de hoje, quando a Tropa de Choque utilizou o canhão de água e algumas bombas de efeito moral para dispersar a manifestação.

Tarde demais.

Antes disso, na noite de ontem, o fundador e líder do grupo de extrema-direita Revoltados On Line, Marcello Reis, foi expulso da manifestação após pedir aos participantes que desocupassem a Paulista. Reis seguiu o protocolo pedido pelo governo do Estado, por conta da manifestação pró-governo marcada pra hoje no vão livre do Masp, que foi avisada na semana passada por movimentos sociais.

Escrachado e chamado de “petista” e “comunista”, Reis teve de ser escoltado por policiais militares pra sair da região sem ser agredido.

Não por acaso, quem marcou o protagonismo dos atos desde quarta-feira na Paulista foi o próprio Revoltados On Line. Enquanto os demais grupos pelo impeachment se articulavam em Brasília (MBL e Vem Pra Rua), a cidade de São Paulo se tornou palco para a extrema-direita articulada, junto com os empresários da Fiesp.

O problema é que nenhum dos dois soube lidar com o extremismo dos próprios manifestantes.

Ambos criaram um monstro, que com a ajuda da SSP de Geraldo Alckmin (PSDB) acabaram não sabendo como criar e educar. Tarde demais.

Foto: Alice V/Democratize

Não existe o menor controle sobre os manifestantes em São Paulo, e isso é um perigo. Principalmente quando o palco das manifestações pelo impeachment irá receber nas próximas horas um protesto a favor do governo federal petista.

Depois de uma série de agressões desde quarta-feira, como citado acima, várias pessoas estão com receio de comparecerem hoje ao chamado da Frente Brasil Popular, pró-governo. Relatos nas redes sociais não param de pipocar sobre pessoas vestindo vermelho e sendo agredidas nas mediações da Av. Paulista. Um homem, dentro do carro, alega ter levado um soco na cara após declinar o convite de um manifestante que passava pela rua. Uma mulher que estava na Paulista foi perseguida e ameaçada após não aceitar um panfleto dos movimentos pelo impeachment.

Entendam: não se discute aqui se o governo merece ou não o impeachment. Também não se discute a mobilização em torno dessa pauta, de ambos os lados. Todos merecem ter direito a uma opinião política, e se mobilizar por ela é um dos traços mais respeitáveis da democracia. O problema é quando não existe o menor controle sobre extremismos. E pior: quando o governo estadual prefere se manter em cima do muro, enquanto lideranças são expulsas e rechaçadas, quebrando qualquer forma de organização e abrindo possibilidades de ações violentas contra indivíduos.

É preciso deixar bem claro. Caso alguma coisa aconteça nesta sexta-feira na Avenida Paulista, a culpa é da Secretaria de Segurança Pública, e dos movimentos de extrema-direita que não souberam lidar com o próprio discurso radical.

Independente de concordar ou não com as manifestações, não podemos fechar os olhos e esperar aparecer um corpo na avenida para nos tocarmos sobre os erros cometidos.

Seguimos esperando que isso não aconteça, e que o debate democrático prevaleça diante da violência desnecessária e despolitizada.

Veja abaixo o vídeo do Democratize, sobre a expulsão do líder do Revoltados On Line na Avenida Paulista:


Texto por Francisco Toledo, co-fundador e fotojornalista da Agência Democratize

By Democratize on March 18, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: