Documentos apreendidos na “Acarajé” (fase da Lava Jato) foram liberados ontem. Planilhas mostram líderes do “front” da oposição pelo…

Contra a corrupção? Documentos da Odebrecht listam políticos que defendem saída de Dilma

Contra a corrupção? Documentos da Odebrecht listam políticos que defendem saída de DilmaDocumentos apreendidos na “Acarajé” (fase da Lava Jato) foram liberados ontem. Planilhas mostram líderes do “front” da oposição pelo…


Contra a corrupção? Documentos da Odebrecht listam políticos que defendem saída de Dilma

Foto: Igo Estrela

Documentos apreendidos na “Acarajé” (fase da Lava Jato) foram liberados ontem. Planilhas mostram líderes do “front” da oposição pelo impeachment de Dilma, que teriam recebido doações incompatíveis com valores declarados.

As planilhas, que estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, foram apreendidas na 23ª fase da operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”.

Nos documentos, mais de 200 políticos são citados. O valor detalhado nas planilhas são incompatíveis com o que foi declarado por todos os listados.

Dentro da “base aliada”, nomes importantes como a da deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D’Ávila (PCdoB), também são citados. Além dela, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB) também está na lista, com o apelido de “Nervosinho”.

Mas o que mais chamou atenção foi a presença de nomes importantes da oposição, que tem se posicionado fortemente pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff, comparecendo nas manifestações ‘contra a corrupção’ convocadas por movimentos de direita no Brasil.

Entre eles, estão os nomes do senador Aécio Neves (PSDB) e do deputado federal Paulinho da Força (Solidariedade). Recentemente, Paulinho da Força fez uma declaração polêmica, afirmando que “muita gente quer financiar o impeachment”.

Outro nome citado foi o de Rodrigo Maia, deputado federal pelo DEM. Ele faz parte do front no Congresso que tenta avançar com a comissão pelo impeachment da presidenta na Câmara dos Deputados. Também membro do Congresso, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) não poderia estar fora da lista.


UPDATE: 15h20

NOTA SOBRE DOCUMENTOS DA LAVA JATO

Publicamos às 14 horas desta quarta-feira (23) uma lista com cerca de 200 nomes de políticos que faziam parte de documentos de doações da empresa Odebrecht. Porém, nos últimos minutos, o juiz Sérgio Moro decretou o sigilo dos documentos divulgados. Nomes importantes como o do senador Aécio Neves (PSDB), Paulinho da Força (Solidariedade) e Eduardo Cunha (PMDB) estavam na lista. Segundo informações da própria investigação, as doações não eram compatíveis com os valores declarados por todos os políticos relacionados na lista.

O Democratize repudia a atitude do juiz Sérgio Moro, que dias atrás, resolveu divulgar informações da investigação sobre o ex-presidente Lula, incluindo uma escuta entre ele e a presidenta Dilma Rousseff, mas agora decide esconder da população nomes e valores que são de interesse público.

A seletividade do Judiciário é lamentável.

Por último, trabalharemos para que tais documentos continuem sendo de acesso público.

By Democratize on March 23, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: