Os próximos dias serão marcados por manifestações. Grupo pró-impeachment mobiliza ocupação na Avenida Paulista a partir do dia 15, enquanto…

Começa a semana mais decisiva para a política nos últimos 25 anos

Começa a semana mais decisiva para a política nos últimos 25 anosOs próximos dias serão marcados por manifestações. Grupo pró-impeachment mobiliza ocupação na Avenida Paulista a partir do dia 15, enquanto…


Começa a semana mais decisiva para a política nos últimos 25 anos

Foto: Alice V/Democratize

Os próximos dias serão marcados por manifestações. Grupo pró-impeachment mobiliza ocupação na Avenida Paulista a partir do dia 15, enquanto governo continua sua articulação em Brasília para barrar o impeachment. Semana é histórica, e votação deve ocorrer no domingo (17).

Movimentos pró-impeachment já articulam uma ocupação na Avenida Paulista a partir do dia 15 (sexta-feira), para uma grande manifestação no dia 17 (domingo) com direito a telões transmitindo a votação do impeachment pela Câmara em tempo real, ao vivo. Outras manifestações e ocupações similares devem ocorrer nas outras capitais do país, incluindo Brasília, destino de uma caravana de manifestantes que serão levados pelo Movimento Brasil Livre e Vem Pra Rua.

Ao mesmo tempo, a defesa do governo Dilma Rousseff não perde tempo em busca de votos para derrotar o impeachment na Câmara dos Deputados. Na última semana, quadros internos do PT e do governo consideram que foi uma semana positiva, e que agora o favoritismo mudou de lado, de volta para a continuidade do governo Dilma.

Mesmo assim, já é esperado em Brasília uma onda de manifestações “em defesa da democracia”, além de uma ocupação no Vale do Anhangabau, em São Paulo, a partir dessa sexta-feira. No domingo, a partir das 10 da manhã, uma grande manifestação é esperada contra o impeachment para o mesmo local, ambos organizados pela Frente Brasil Popular e CNB PT.

Tudo isso ocorre porque o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), conseguiu articular seu objetivo: votar o impeachment no plenário da casa em pleno domingo. Mesmo sendo mais rejeitado do que o próprio governo Dilma pela população, como mostrou pesquisa do Datafolha neste fim de semana, o deputado do PMDB continua ditando a política em Brasília — e conta com o resultado positivo para se manter no cargo e sair vivo da Operação Lava Jato, com apoio do vice-presidente Michel Temer.

Foto: Alice V/Democratize

Até lá, uma agenda de mobilizações deve ocorrer de ambos os lados.

Na última sexta-feira (8), o ex-presidente Lula esteve presente no Encontro com a Educação, no Auditório Celso Furtado. Atraindo centenas de pessoas, o encontro mobilizou a classe artística e a juventude, em defesa da democracia e contra o impeachment.

By Democratize on April 11, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: