Na noite desta terça-feira (1), cerca de 4 pessoas foram presas após a polícia reprimir violentamente manifestação organizada por…

Começa a guerra declarada contra estudantes em São Paulo

Começa a guerra declarada contra estudantes em São PauloNa noite desta terça-feira (1), cerca de 4 pessoas foram presas após a polícia reprimir violentamente manifestação organizada por…


Começa a guerra declarada contra estudantes em São Paulo

Foto: Wesley Passos/Democratize

Na noite desta terça-feira (1), cerca de 4 pessoas foram presas após a polícia reprimir violentamente manifestação organizada por estudantes contra o projeto de reorganização do ensino — dois deles eram alunos. Nesta manhã, mais prisões e ameaças: começa a guerra declarada de Geraldo Alckmin contra a educação.

A semana começou com tiro, porrada e bomba contra a Educação. Tudo isso faz parte do plano de guerra do governo estadual do PSDB contra os estudantes secundaristas, que já ocupam mais de 200 escolas desde o começo de novembro, contra o projeto defendido por Geraldo Alckmin chamado reorganização do ensino, onde mais de 90 escolas serão fechadas.

Conforme noticiado pelo Democratize, nesta segunda-feira uma escola em Osasco (E.E. Coronel Antonio Paiva) foi invadida por policiais após um grupo de encapuzados colocar fogo, depredar e ameaçar os alunos que ocupavam o prédio. Mesma tática foi utilizada um dia antes, em outra escola na cidade de Sorocaba, no interior paulista.

Já na terça-feira, após sair decreto oficial do plano de reorganização do ensino, uma série de ações foram tomadas pelo governo contra as ocupações. O Democratize também esteve presente e registrou a tentativa de invasão de funcionários do governo e da escola Maria José, na Bela Vista, junto com policiais. Uma aluna foi agredida pelo diretor da escola com um soco no rosto, e outro levou pontapés de um policial. Um pouco mais cedo, em manifestação de alunos na Marginal Tietê, a polícia dispersou o grupo com bombas de efeito moral, atingindo e ferindo o fotógrafo da Agência Democratize, Reinaldo Meneguim.

Mas o pior ainda estava por vir.

Em manifestação organizada por alunos secundaristas na região central de São Paulo, mais de 200 pessoas participaram. Com concentração na Avenida Paulista, os manifestantes ocuparam e fecharam a Avenida 9 de Julho, uma das mais movimentadas da capital.

O comandante da operação policial informou ao nosso fotógrafo Wesley Passos que não haveria motivo para repressão, pois a manifestação estava pacífica. E continuou pacífica, mesmo após provocações partindo de um policial civil que, no trânsito, resolveu sacar a sua arma dentro do carro.

Mas mesmo assim, a polícia decidiu agir para liberar o trânsito. O resultado disso tudo foram bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e 4 prisões, sendo de dois alunos secundaristas — uma menina adolescente inclusive.

Policial civil com arma de fogo letal dentro do carro enquanto discutia com estudantes | Foto: Wesley Passos/Democratize

A manifestação chamou a atenção da grande mídia, que mesmo após diversos vídeos comprovando que a manifestação era pacífica, rotulou o acontecimento como confronto.

Alunos ainda tentaram se rearticular após a repressão, na tentativa de ocupar a escola Caetano de Campos, ao lado da Praça Roosevelt. A escola já havia sido ocupada semanas atrás, porém com pressão da direção e do governo, acabou sendo desocupada. Com forte efetivo nos arredores do prédio da escola, os alunos acabaram desistindo da ocupação.

Porém, mesmo com tanta pressão e repressão do governo contra a mobilização dos secundaristas, as ocupações continuam — talvez ainda mais fortes do que antes.

Alunos da Maria José acabaram realizando uma manifestação após a truculência policial ocorrida na manhã de ontem, na tentativa de invasão da escola por PMs e funcionários do governo. O deputado estadual do PSOL, Carlos Gianazi, esteve presente junto com o ator Sérgio Mamberti, que juntos declararam apoio com a ocupação.

Fotos: Gabriel Soares/Democratize

Nesta quarta-feira, mais um protesto foi reprimido pela polícia. Estudantes ocupavam a Av. Doutor Arnaldo na capital, quando a PM interviu detendo dois alunos que participavam do ato.

By Democratize on December 2, 2015.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: