Evento de lançamento da nova organização de esquerda formada por dissidentes do PSTU acontecerá neste sábado (23), na Avenida Paulista…

Com dissidentes do PSTU, nova organização de esquerda se apresenta neste sábado

Com dissidentes do PSTU, nova organização de esquerda se apresenta neste sábadoEvento de lançamento da nova organização de esquerda formada por dissidentes do PSTU acontecerá neste sábado (23), na Avenida Paulista…


Com dissidentes do PSTU, nova organização de esquerda se apresenta neste sábado

Foto: Francisco Toledo/Democratize

Evento de lançamento da nova organização de esquerda formada por dissidentes do PSTU acontecerá neste sábado (23), na Avenida Paulista. Cerca de 739 pessoas assinam o manifesto do grupo, que nasce após divergência interna no partido sobre o processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff.


“É preciso arrancar alegria ao futuro”. Esse é o nome do manifesto assinado por 739 ex-militantes do PSTU, um dos partidos mais importantes da esquerda dentro do movimento estudantil na atualidade brasileira.

A ruptura entre esse grupo e o partido começou após divergências sobre o posicionamento da sigla diante do avanço de segmentos de direita na sociedade, com o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

Diferente de outros partidos de esquerda, como PSOL e PCB, o PSTU preferiu criar uma frente chamando o “Fora Todos”, defendendo não apenas a saída de Dilma, como também de outras lideranças políticas, como o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB), o presidente interino Michel Temer (PMDB), e o senador e ex-presidenciável Aécio Neves (PSDB).

Para os dissidentes do partido, tal tática não foi suficiente e gerou apenas conflitos internos, além de dividir ainda mais a esquerda em tempos de crescimento da direita nas ruas e nas urnas.

“Não superaremos a marginalidade com um programa ultraesquerdista, que os trabalhadores não estão dispostos a abraçar, ou que, às vezes, nem sequer compreendem”, diz o manifesto.

Sobre as divergências internas dentro do PSTU, o grupo diz que há mais de um ano afirmava a necessidade de enfrentar a política de ajuste fiscal do governo petista, mas também combater o avanço da oposição liderada por partidos como PSDB, DEM e PMDB.

Foto: Reinaldo Meneguim/Democratize

“Depois que a maioria da burguesia se unificou em torno à proposta de impeachment, a partir de fevereiro de 2016, defendemos internamente que era vital lutar contra esta manobra parlamentar, sem que isso significasse, evidentemente, prestar qualquer apoio político a Dilma. Porque avaliávamos que a derrubada do governo do PT só teria um sentido progressivo se realizada pelas mãos da própria classe trabalhadora, por meio de suas próprias organizações. Ao contrário, se liderada pela oposição de direita, a derrubada de Dilma seria uma saída reacionária para a crise política; deseducaria os trabalhadores em sua tarefa de autoemancipação. A segunda hipótese foi exatamente a que ocorreu”, relata os integrantes do grupo.

O grupo ainda reafirma o fracasso do “reformismo petista”, criticando a direção majoritária do PSOL por adotar tal programa político.

Mesmo assim, a nova organização de esquerda defende uma unidade no “terceiro campo”, representado pelo próprio PSOL e pelo o PSTU. “Propomos ao PSTU, ao PSOL, ao PCB, às organizações políticas que não possuem legalidade e aos movimentos sociais a construção de uma Frente de Esquerda e Socialista, com um programa de ruptura com os planos de ajustes que são aplicados por todos os governos e prefeituras”.

São esperadas mais de mil pessoas para o evento de lançamento e apresentação do grupo, que deverá apresentar seu nome neste sábado, às 18 horas no Club Homs, localizado na Avenida Paulista. O evento contará com a presença de líderes e membros de outras organizações de esquerda, como o PSOL, PCB, MST e o próprio PSTU.

“Será um encontro de diferentes gerações de lutadores com a mesma alegria e disposição de construir o novo”, disse Amanda Gurgel, vereadora eleita pelo PSTU que também decidiu sair do partido. Ela foi a mais votada na história do Rio Grande do Norte.

By Democratize on July 22, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: