Durante comemoração dos 44 anos da Torcida Independente, organizada do São Paulo, torcedores caminharam nas ruas do centro de São Paulo no…

As torcidas organizadas voltam a protagonizar a política nas ruas

As torcidas organizadas voltam a protagonizar a política nas ruasDurante comemoração dos 44 anos da Torcida Independente, organizada do São Paulo, torcedores caminharam nas ruas do centro de São Paulo no…


As torcidas organizadas voltam a protagonizar a política nas ruas

Foto: Francisco Toledo/Democratize

Durante comemoração dos 44 anos da Torcida Independente, organizada do São Paulo, torcedores caminharam nas ruas do centro de São Paulo no domingo (17) e se posicionaram contra o que chamam de golpe contra a democracia. Dois dias antes, foi a vez da Gaviões da Fiel, de outro clube, ocupar as ruas por pautas políticas.

“Se o brasileiro se importasse com política como se importa com futebol, as coisas seriam diferentes”.

A frase acima já foi dita tantas vezes que se tornou um clichê do senso comum da sociedade brasileira. Talvez, quem diz isso não imaginava que aqueles que se importam muito com futebol também podem se importar ainda mais com a política.

Neste ano de 2016 o Brasil vivencia uma retomada de pautas políticas nas torcidas organizadas. Isso ocorre justamente no período mais crítico da política nacional, com o impeachment da presidenta Dilma Rousseff acelerando cada vez mais após aprovação na Câmara dos Deputados neste domingo (17).

E foi neste domingo que a torcida Independente, uma das principais organizadas do São Paulo, ocupou as ruas em celebração dos seus 44 anos de existência.

Como é tradicional, caminharam nas ruas do centro da capital com seus gritos de guerra, bateria e bandeiras. Mas este ano foi um pouco diferente.

Logo na linha de frente, torcedores usavam camisetas com os dizeres “Não vai ter Golpe” e “Pela democracia”. Vários torcedores da organizada também carregavam faixas contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, além de bonés da Central Única dos Trabalhadores, a CUT. Veja o registro do Democratize abaixo.

Isso ocorre apenas dois dias depois da principal organizada do Corinthians, a Gaviões da Fiel, mobilizar mais de 3 mil torcedores também no centro de São Paulo. O motivo: mais uma pauta política.

Dessa vez a questão levantada foi a Máfia da Merenda, encabeçada pelo deputado federal e presidente da Assembleia Legislativa do estado, Fernando Capez (PSDB). O deputado foi promotor de justiça nos anos 90, que ficou conhecido por perseguir as torcidas organizadas em meados de 1995.

Hoje, ele é acusado de ser um dos principais responsáveis pelo desvio de verba que seria destinado para merenda escolar no estado.

A Gaviões também acusa o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) de perseguir novamente as torcidas organizadas. Por determinação da Secretaria de Segurança Pública, não será mais permitido durante o ano que clássicos entre os principais clubes do estado contem com duas torcidas — ou seja, apenas torcida única, do dono da casa. A proibição vai além: a nova regra também determina que faixas e cartazes com conotação política não podem mais entrar nos estádios, algo que a Gaviões tem feito desde o começo do Campeonato Paulista, com dizeres e gritos de guerra contra a Máfia da Merenda, a FPF (Federação Paulista de Futebol), a CBF e a Rede Globo.

Foto: Fernando DK/Democratize

Em nota oficial, a Independente também critica o que chamam de elitização do futebol:

“ Já tiraram nossas bandeiras e nossa festa das arquibancadas, mas não calaram nossa voz. Tentaram fechar nossas portas, mas graças às nossas afinidades e nosso ideal de sermos uma família jamais nos separou.”

E continua:

“Para este ano, a despeito de lutarmos contra a injusta proibição de nossas faixas e camisas nas arquibancadas dos estádios de São Paulo até 31/12 (e que, em nome de todos os associados, tentaremos de todas as formas reverter), estamos preparando grandes surpresas para aqueles que jamais viraram suas costas para a Torcida (inclusive camisas para mantermos a padronização da Independente na arquibancada, como já fizemos na década de 90 até meados dos anos 2000).”

Além das organizadas do Corinthians e São Paulo, outra torcida que também tem se posicionado politicamente neste ano é a do Santos, a Torcida Jovem, que em fevereiro levou faixas contra a Máfia da Merenda e Fernando Capez. No ano passado, a mesma torcida já havia protagonizado protestos dentro da Vila Belmiro contra a Rede Globo e a CBF, durante o Campeonato Paulista.

By Democratize on April 19, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: