O ato, organizado pelo Comitê São Francisco Contra o Golpe reuniu lideranças estudantis e sindicais, promovendo o enterro simbólico da…

“Aqui e hoje, a Constituição Federal será enterrada”

“Aqui e hoje, a Constituição Federal será enterrada”O ato, organizado pelo Comitê São Francisco Contra o Golpe reuniu lideranças estudantis e sindicais, promovendo o enterro simbólico da…


“Aqui e hoje, a Constituição Federal será enterrada”

Foto: Fernando DK/Democratize

O ato, organizado pelo Comitê São Francisco Contra o Golpe reuniu lideranças estudantis e sindicais, promovendo o enterro simbólico da Constituição Federal em referência ao processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.


No começo da noite desta quinta-feira (19), um grupo composto pelo Comitê São Francisco Contra o Golpe realizou um protesto/intervenção no Largo São Francisco, centro da cidade.

Com a presença de lideranças estudantis como Carina Vitral, da UNE, além de sindicais e movimentos populares como CUT e Marcha Mundial de Mulheres, o protesto marcou o “enterro da Constituição de 1988”.

“Caducou. A Constituição brasileira de 1988 passou a acompanhar as outras sete no melancólico balaio das curiosidades históricas. (…) O processo político atual e o governo que se avizinha geram visões nauseantes, quando não aterradoras: qual é o projeto de país? Qual é a visão de futuro que se busca compartilhar ou, pelo menos, compactuar? Desenvolvimento? Igualdade? Liderança regional? Com a vitória do golpe de Estado de 2016 e a morte matada da Constituição de 1988, adentramos no século XXI já vencidos, retrocedendo a passos largos rumo ao século XIX”, diz Gilberto Bercovici e José Augusto Fontoura Costa, professores da Faculdade de Direito da USP, na página do evento no Facebook.

Foto: Fernando DK/Democratize

Sob gritos de “fora, Temer” e “vai ter luta”, os manifestantes jogaram terra sobre caixão, no qual estava um exemplar da Constituição. O ato é uma crítica ao processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, que os manifestantes consideram um golpe. Além disso, o grupo diz que o presidente interino Michel Temer tem desrespeitado a Constituição desde que assumiu a Presidência.

Os estudantes integram o Comitê São Francisco contra o Golpe. Nos discursos durante o protesto, houve críticas ao processo de impeachment e aos autores do pedido que levou ao afastamento da presidenta, a advogada Janaína Paschoal e os juristas Miguel Reale Jr. e Hélio Bicudo.

“Como estudantes dessa instituição, não podemos aceitar que o direito seja distorcido e desrespeitado por setores golpistas, que têm dificuldade em lidar com as instituições democráticas da República brasileira”, disseram os alunos.

O grupo também criticou o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ex-secretário de Segurança Pública de São Paulo.

By Democratize on May 20, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: