Mais um recuo do governo interino de Michel Temer — mas desta vez por pressão do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), que ocuparam…

Após ocupação do MTST, Temer recua mais uma vez e retoma programa social

Após ocupação do MTST, Temer recua mais uma vez e retoma programa socialMais um recuo do governo interino de Michel Temer — mas desta vez por pressão do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), que ocuparam…


Após ocupação do MTST, Temer recua mais uma vez e retoma programa social

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Mais um recuo do governo interino de Michel Temer — mas desta vez por pressão do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), que ocuparam o hall do prédio onde fica localizado o escritório da Presidência da República, na Paulista. Governo foi obrigado a retomar o programa Minha Casa, Minha Vida Entidades.


Depois de bombas de efeito moral, prisões, agressões contra uma manifestante mulher, e criminalização dos meios de comunicação tradicionais, o MTST conseguiu sua vitória.

Tudo ocorreu no começo da tarde desta quarta-feira (01), quando o grupo de manifestantes sem-teto ocupou o hall do prédio onde fica localizado o escritório da Presidência da República em São Paulo, na Avenida Paulista.

Não demorou muito para a Polícia Militar agir e tentar desocupar o prédio, reprimindo os manifestantes que estavam do lado de fora.

Foto: Alice V/Democratize

Pelo menos 4 pessoas foram presas, incluindo uma mulher que foi duramente agredida por um dos policiais. Além das detenções, a polícia ainda atacou os manifestantes pacíficos com bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo, balas de borracha e spray de pimenta.

De lá, o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos, deixou claro que não iria “arredar o pé” do prédio, e que a ocupação continuaria até o presidente interino Michel Temer (PMDB) recuar de sua decisão de acabar com o programa social Minha Casa, Minha Vida Entidades.

O ministro das Cidades, Bruno Araujo, determinou na noite desta quarta-feira (1º) “a edição de nova portaria que divulga as entidades para contratação de unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida, modalidade Entidades.” Ainda segundo notícia publicada no site do Ministério, a ‘lista das entidades encaminhada pela Caixa Econômica Federal será mantida.”

Em assembleia, o líder do MTST, Guilherme Boulos, comemorou, atacando o governo interino. “O governo golpista do senhor Michel Temer teve de recuar, e as habitações serão contratadas”. “Para aqueles que não acreditavam, engulam a nossa vitória. Aqui não tem arrego, arrego tem lá em Brasília”, disse.

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Essa decisão sinaliza mais um recuo do governo Temer, que havia revogado no dia 17 de maio as portarias do governo Dilma Rousseff para a contratação de unidades do programa habitacional e que regulamentava o modelo Minha Casa, Minha Vida voltado para entidades, como é o caso do MTST.

Com essa vitória do movimento dos sem-teto, o cenário político mostra que não será fácil para o governo interino.

Por pressão de setores da cultura, como artistas e intelectuais, o governo já teve de recuar sobre sua decisão de extinguir o Ministério da Cultura, que inicialmente se tornaria uma pasta subordinada ao Ministério da Educação, que se encontra nas mãos de Mendonça Filho (DEM), aliado dos movimentos pró-impeachment — como é o caso do MBL. Essa decisão gerou uma pequena crise e críticas desses movimentos contra Michel Temer.

By Democratize on June 2, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: