Site especializado em boatos nas redes sociais desmente versão da família Bolsonaro sobre possível “plano” do deputado Jean Wyllys em…

Ao contrário dos boatos, o deputado Jean Wyllys não “planejou cuspir” em Bolsonaro

Ao contrário dos boatos, o deputado Jean Wyllys não “planejou cuspir” em BolsonaroSite especializado em boatos nas redes sociais desmente versão da família Bolsonaro sobre possível “plano” do deputado Jean Wyllys em…


Ao contrário dos boatos, o deputado Jean Wyllys não “planejou cuspir” em Bolsonaro

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Site especializado em boatos nas redes sociais desmente versão da família Bolsonaro sobre possível “plano” do deputado Jean Wyllys em cuspir no deputado Jair Bolsonaro, durante votação do impeachment na Câmara dos Deputados neste domingo (17).

A grande imprensa, de forma completamente sensacionalista, tem explorado desde o domingo (17) a já famosa cuspida do deputado Jean Wyllys (PSOL) em Jair Bolsonaro (PSC) durante votação do impeachment na Câmara dos Deputados.

Em comparação com a homenagem feita por Bolsonaro ao General Ustra (torturador do DOI-CODI durante a ditadura militar) durante seu voto, a atititude do deputado do PSOL recebeu muito mais atenção do que as palavras ditas por Bolsonaro — pelo menos nos grandes meios de comunicação, que inicialmente, ignoraram a homenagem ao torturador.

E sua equipe de comunicação e aliados tem feito o máximo possível para que essa homenagem não acabasse se tornando um tiro pela culatra. Para isso, começaram a focar na hipótese de Jean Wyllys ter “planejado a cuspida” no deputado do PSC.

Em vídeo, seu filho e também deputado federal Eduardo Bolsonaro acusa Wyllys de ter contado ao deputado Chico Alencar (PSOL) que iria cuspir em seu pai após o voto.

Veja abaixo:

Não demorou muito para que todos os vídeos no Facebook relacionados ao tema conseguissem cerca de 75 mil compartilhamentos.

Mas, segundo levantamento do site Boatos.org, especializado em desmentir notícias e acusações nas redes sociais, o suposto plano de Wyllys não passa de mais um simples boato.

Veja o trecho:

“Diferente do que se mostra nos vídeos do Bolsonaro filho e da Reaçonaria, a ‘confissão’ de Jean Wyllys não foi dita antes de sua votação, mas depois. A Record News citada, realmente flagrou o momento da cusparada e a hora que o deputado do PSOL contou a outro parlamentar que havia cuspido em Jair Bolsonaro. Nitidamente, Jean Wyllys diz ‘eu cuspi no Bolsonaro’, com o verbo no passado. O resto foi inventado para por mais lemnha na fogueira.” — veja aqui a matéria completa.

Foto: Luis Macedo

Nesta terça-feira (19), a Ordem dos Advogados do Rio de Janeiro foi ao Supremo Tribunal Federal pedir a cassação do mandato de Bolsonaro, por conta de sua homenagem ao General Ustra durante votação na Câmara.

Além disso, a entidade pretende encaminhar para a Corte Interamericana de Direitos Humanos, na Costa Rica, um pedido de medidas para limitar a apologia à tortura no Brasil. “Vamos ao Supremo e até a Corte Interamericana de Direitos Humanos para discutir os limites da imunidade parlamentar e pedir a cassação dele. A apologia à tortura, ao fascismo e a tudo que é antidemocratico é intolerável”, afirmou Fernando Santa Cruz, presidente da OAB no Rio de Janeiro e filho de um desaparecido político durante a ditadura militar, em entrevista ao Jornal Extra.

By Democratize on April 19, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: