Na cidade de São Paulo, o aumento das passagens de ônibus e metrô/trem foi de 30 centavos. Outras cidades como Belo Horizonte e Rio de…

Ano começa com protestos contra aumento da tarifa em SP, BH e RJ

Ano começa com protestos contra aumento da tarifa em SP, BH e RJNa cidade de São Paulo, o aumento das passagens de ônibus e metrô/trem foi de 30 centavos. Outras cidades como Belo Horizonte e Rio de…


Ano começa com protestos contra aumento da tarifa em SP, BH e RJ

Foto: Francisco Toledo/Democratize

Na cidade de São Paulo, o aumento das passagens de ônibus e metrô/trem foi de 30 centavos. Outras cidades como Belo Horizonte e Rio de Janeiro também sofreram aumento. Mais de 20 mil pessoas são esperadas no primeiro protesto convocado pelo Movimento Passe Livre apenas em São Paulo.

Se você achou que o final de 2015 foi repleto de protestos, ocupações e mobilizações, é porque não esperava pelo começo de 2016.

O Movimento Passe Livre, principal protagonista dos protestos que marcaram o mês de junho e julho de 2013 no Brasil, reunindo milhões de pessoas, prometeu voltar pra rua mais uma vez. O motivo foi o aumento das passagens de ônibus, trem e metrô em São Paulo, anunciadas pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e pelo prefeito da capital, Fernando Haddad (PT). A passagem aumentará para R$3,80 — um crescimento de 30 centavos no gasto do trabalhador.

Outras capitais como o Rio de Janeiro também estão na lista. Lá, o aumento será de 40 centavos, passando de 3,40 para 3,80.

A situação mais surpreendente é a de Belo Horizonte, em Minas. Trata-se do terceiro aumento das passagens em apenas um ano: R$3,70. No final de 2014, a passagem custava R$2,80.

Foto: Gabriel Soares/Democratize

No ano passado, após o anuncio do aumento de 50 centavos nas passagens em São Paulo, o MPL realizou diversos protestos. No primeiro, reuniu mais de 30 mil pessoas, terminando em repressão policial. Porém, após reuniões misteriosas envolvendo a prefeitura com movimentos estudantis como a UNE e a UJS, ocorreu um enfraquecimento dos atos, terminando a mobilização sem sucesso.

Poucos meses depois, um racha acabou ocorrendo dentro do movimento em São Paulo. O Democratize cobriu em outubro do ano passado o último ato promovido pelo movimento, no Dia Nacional de Lutas pelo Transporte Público, reunindo apenas centenas de pessoas.

Porém, o contexto é diferente. Trata-se do segundo aumento de passagens em São Paulo em apenas um ano, em plena crise econômica, além de ser ano eleitoral. Outro fator que pode fortalecer a mobilização contra o aumento das passagens é a recente luta dos secundaristas no estado, onde mais de 200 escolas foram ocupadas contra o projeto de reorganização do ensino escolar promovida pelo governo tucano. Além das ocupações, protestos de rua também fortaleceram o movimento, rendendo uma derrota histórica ao governador Geraldo Alckmin, que decidiu recuar no projeto e ainda viu seu secretário da Educação, Herman Voorwald, pedir demissão do cargo.

Só no evento de São Paulo, até o momento mais de 14 mil pessoas confirmaram presença, sendo que outras 9 mil demonstraram interesse. Em Belo Horizonte, já são 3,5 mil pessoas confirmando presença no evento do Facebook, além de outras 4,5 mil demonstrando interesse. No Rio já são esperadas mais de 12 mil pessoas no ato.

Veja a entrevista que o Democratize realizou com o ex-secretário de Transportes da capital paulista, Lucio Gregori, um dos idealizadores do projeto pela tarifa zero no Brasil:

By Democratize on January 7, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: