Em protesto contra a precarização da educação e em apoio aos secundaristas, a Polícia Militar agiu de forma desproporcional mais uma vez…

Alckmim manda polícia atacar estudantes e imprensa em ato por Educação

Alckmim manda polícia atacar estudantes e imprensa em ato por EducaçãoEm protesto contra a precarização da educação e em apoio aos secundaristas, a Polícia Militar agiu de forma desproporcional mais uma vez…


Alckmim manda polícia atacar estudantes e imprensa em ato por Educação

Foto: Fernando DK/Democratize

Em protesto contra a precarização da educação e em apoio aos secundaristas, a Polícia Militar agiu de forma desproporcional mais uma vez contra jornalistas e estudantes. Prisões foram efetuadas, manifestantes ficaram feridos e foram encaminhados para hospitais, além de jornalistas agredidos e com equipamentos danificados pela PM.


Mais um dia comum em São Paulo.

Com pouco diálogo e muita repressão, a segunda grande manifestação em apoio aos estudantes secundaristas acabou em violência na noite dessa quarta-feira (18).

Milhares de pessoas participaram do ato, que se concentrou no vão livre do Masp no começo da noite. O destino da manifestação foi a Secretaria da Educação, na região central de São Paulo.

Sem maiores incidentes durante o trajeto, foi chegando à Secretaria que a polícia comandada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) começou a agir de forma autoritária e irresponsável contra estudantes menores de idade e profissionais da comunicação.

A Arfoc (Associação dos Repórteres Fotográficos do Estado de São Paulo) relatou pelo menos dois casos de agressão contra fotógrafos pela Polícia Militar na noite desta quarta-feira.

“A fotógrafa Gabriela Biló, do Estado, impediu que um policial tomasse sua câmera e em seguida recebeu um jato de spray de pimenta no rosto.”

“O fotógrafo André Lucas Almeida, da agência Futura Press também recebeu spray de pimenta e golpes de cassetete e teve seu notebook quebrado por PMs.”

Foto: Reprodução/Arfoc

Neste vídeo, a partir dos 00:38s, é possível ver o momento em que André é agredido por um policial. Com um cassetete, o policial atinge André pelas costas, acertando sua bolsa — onde estava seu equipamento.

É a segunda vez em menos de 1 ano que o fotógrafo é agredido cobrindo manifestações. Nas duas oportunidades, algum equipamento de André foi danificado. No ano passado, durante ato dos secundaristas, estudantes tentavam pular a catraca de uma estação de metrô no centro de São Paulo. André se posicionava para fotografar quando um segurança do Metrô o agrediu, danificando sua lente.

Diversos outros casos de agressões foram relatados na noite desta quarta-feira.

Foto: Gustavo Oliveira/Democratize

Na foto ao lado, ferimentos graves aparecem na parte superior da cabeça de um dos manifestantes agredido por policiais com cassetetes. Ele foi encaminhado para um hospital próximo.

Em outro caso, um manifestante estava prestes a ser agredido por um policial com um cassetete quando colocou as suas mãos na frente de seu rosto, para tentar se proteger. Sua mão direita ficou gravemente ferida, sendo socorrido por colegas da imprensa e manifestantes.

Pelo menos quatro prisões foram confirmadas pela página O Mal Educado, que acompanha a mobilização secundarista em São Paulo desde o ano passado.

Flagramos no vídeo abaixo um desses momentos, quando um jovem é escolhido de forma aleatória por policiais nas ruas do Centro. Com intimidações e ameaças, o jovem acaba rendido sem ao menos saber o motivo de sua detenção.

By Democratize on May 19, 2016.

Exported from Medium on September 23, 2016.

Posts Relacionados

On Top
error: Para reproduzir o conteúdo do Democratize, entre em contato pelo formulário.
%d blogueiros gostam disto: